Santos vê reação do Barça no caso Gabriel como retaliação por Neymar

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Para o Santos, a reação do Barcelona à venda do atacante Gabriel para o Inter de Milão é uma retaliação pela ação que o clube paulista move na Fifa ainda pela transferência de Neymar, em 2013.

O Barcelona ameaça processar o Santos que, segundo os europeus, não respeitou a preferência pelos direitos de Gabriel, um acordo assinado na época da negociação de Neymar. No fim de agosto, Gabigol foi vendido ao time italiano por 29,5 milhões de euros.

Em correspondência enviada ao Barcelona no último dia 9 de setembro, o Santos afirma que as alegações dos espanhóis são uma “cortina de fumaça como retaliação pela arbitragem entre as duas partes” pela transferência de Neymar. 

No ano passado, o clube brasileiro acionou a Fifa em busca de uma indenização pela negociação que levou o principal astro do futebol brasileiro para a Espanha. O valor cobrado é de cerca de 65 milhões de euros.

O processo gerou atrito com o Barcelona, que em dezembro de 2015 depositou em juízo 2 milhões de euros referentes ao bônus por Neymar ter sido um dos três melhores do mundo, acordo que fez parte da venda do jogador.

O clube catalão contesta a negociação de Gabriel. Em 2013, o Barcelona pagou 2,9 milhões de euros pelo direito de preferência do atacante. O acerto determinava que o Santos deveria informar os espanhóis caso recebessem uma proposta. O Barcelona, por sua vez, teria até três dias para exercer o direito ou desistir da preferência.

Gabriel Gabigol e Neymar se abraçam no treino da seleção brasileira em Quito (Foto: Pedro Martins/MoWa Press)
Gabriel Gabigol e Neymar se abraçam no treino da seleção brasileira em Quito (Foto: Divulgação)

Em 29 de agosto, o Santos enviou carta ao Barcelona em que relata a oferta do Inter. Os brasileiros, porém, pediram que a resposta fosse dada em 24 horas. A pressa se explicava pelo fechamento da janela de transferência para a Europa, que fecharia no dia 31.

O Barcelona só se manifestou dois dias depois. Na resposta, pediu que o Santos enviasse a proposta detalhada para que, a partir daí, tivesse três dias para analisar a situação – o que inviabilizaria a negociação com os italianos.

Os espanhóis terminam a comunicação com uma ameaça: “em cumprimento ao convênio, pedimos que se abstenham de assinar qualquer contrato de transferência […] posto que em caso contrário procederemos a executar as ações que amparam nosso direito”.

A tréplica santista expõe interpretação diferente da cláusula que estipula o prazo para resposta ao afirmar que ele é de, no máximo, três dias. E afirma que se o Barcelona tinha dúvidas sobre a oferta, poderia ter solicitado outras informações dentro do limite de 24 horas. 

“Apesar disso, o Barça esperou até o último dia da janela para pedir informações adicionais e um novo prazo, o que só pode ser visto como uma tentativa do Barça de bloquear a transferência de Gabriel”, diz a carta mais recente enviada pelo Santos.

Por fim, o clube brasileiro pede que o Barcelona abra mão de quaisquer medidas que possa atrapalhar a transferência do atacante e diz que usará os meios legais para proteger seus direitos, inclusive possíveis danos pelas “ações de má-fé” do Barça.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes