Santos arranca empate contra o São Bernardo; veja os gols

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

O atual campeão Paulista penou na Vila Belmiro na tarde desta sábado. Depois de um mês de espera, o Santos estreou na temporada 2016 diante de seu torcedor, mas o desempenho em campo frustrou os 9.341 torcedores que foram ao estádio. Diante de um São Bernardo muito bem postado em campo, mas que não soube aproveitar as oportunidades que teve para matar o duelo, o Peixe arrancou o empate em 1 a 1 já nos minutos finais e ficou no lucro, depois de muitos protestos das arquibancadas. Luciano Castán abriu o placar, mas Gabriel evitou a derrota santista.

A igualdade pelo menos manteve a invencibilidade de Dorival Júnior à frente da equipe na Vila Belmiro. Desde que o treinador retornou ao clube, foram 17 vitórias e dois empates no Urbano Caldeira. Desta vez, porém, o gosto amargo ficou na garganta dos donos da casa.

Na próxima rodada, o Santos visita a Ponte Preta, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, quarta-feira, às 21h45. Já o São Bernardo recebe o Oeste no estádio 1º de Maia, no ABC, terça, às 19h.

Desta forma, o Peixe fica com apenas um ponto no Grupo A, que também tem Botafogo-SP, Linense, Oeste e São Bento. Enquanto isso, com a mesma pontuação, o São Bernardo inicia sua briga no Grupo B, ao lado de Ituano, Novorizontino, Palmeiras e Ponte Preta.

Domínio do Tigre

Quase dois meses depois, o torcedor santista pôde rever seu time na Vila Belmiro. Com muito calor e um sol impiedoso, o Peixe iniciou a defesa de seu título contra o modesto São Bernardo. Mas, quem esperava uma vitória tranquila, levou um susto. Logo aos 10 minutos de jogo, Luciano Castán, irmão do também zagueiro e ex-corintiano Leandro Castán, aproveitou um bate-rebate dentro da área e estufou as redes de Vanderlei.

Além do gol, o que mais chocou os torcedores e, talvez, até mesmo a equipe de Dorival Júnior, foi a postura tática do Tigre. Armado no 4-4-2, o time de Roberto Fonseca se armou com as linhas altas, próximas ao meio campo, e com uma distância entre o primeiro e o último homem entre 15 e 20 metros.

Desta forma, Renato, Thiago Maia e Lucas Lima não tinham espaço para armar as jogadas. O camisa 20, inclusive, errou muito e se irritou por diversas vezes com a arbitragem.

Aos 18 minutos, a grande chance do alvinegro veio depois de jogada característica de Zeca pela direita. O cruzamento ‘no facão’ encontrou Gustavo Henrique livre. O zagueiro cabeceou, mas o goleiro Daniel fez linda defesa no reflexo.

Com coragem e um toque de bola interessante, o São Bernardo ainda teve mais duas grandes chances de ampliar na primeira etapa. Na primeira, Magal recebeu sozinho, dentro da área, mas, se desesperou e cabeceou torto. Na segunda, aos 41, o estreante Lucas Veríssimo furou na frente de Vanderlei e contou com a sorte, pois a bola também passou pelo centroavante do Tigre.

Quem não faz…

A segunda etapa se iniciou com Serginho no lugar de Thiago Maia e um Peixe em busca do empate a todo custo. Mas os jogadores se mostravam nervosos em campo, errando mais do que de costume. Bem diferente do Santos de 2015. Do outro lado, o São Bernardo se manteve fiel ao seu esquema, mas já mais cauteloso e subindo pouco ao ataque, como já era de se esperar.

Com o passar do tempo, os gritos de incentivo vindos da arquibancada foram substituídos por protestos e irritação com a falta de produtividade do ataque. Até os 20 minutos, o goleiro Daniel ainda não havia feito sequer uma defesa. Então, Dorival resolveu sacar Paulinho, que também estrou neste sábado com a camisa do Peixe, para colocar Joel, outro estreante.

Mas quem teve uma chance clara de gol foi o Tigre. Marino conseguiu furar a linha de impedimento do Santos e saiu na cara de Vanderlei. O goleiro, no entanto, cresceu na frente do volante e salvou o Santos. Na sequência, Vanderlei precisou fazer outra grande defesa, em cabeçada de Marino, novamente. Era pressão do São Bernardo e após a cobrança do escanteio, o zagueiro Diego perdeu uma oportunidade incrível, dentro da pequena área.

A esta altura, os jogadores do Santos já eram amplamente hostilizados pelos torcedores. Xingamentos, vaias e revoltas contra o futebol apresentado se tornaram comuns depois dos 30 minutos. Os principais alvos eram Lucas Veríssimo e Gustavo Henrique.

Enquanto isso, o Tigre perdia chance atrás de chance de garantir os três pontos na Vila Belmiro. Não fosse o excesso de preciosismo dos visitantes, o cenário poderia ter ficado ainda pior para os donos da casa.

E como diz o ditado: quem não faz, toma. O São Bernardo não matou o jogo diante do atual campeão Paulista e sofreu o castigo aos 36 minutos. O goleiro Daniel se confundiu ao tentar sair do gol e viu Lucas Lima cruzar para Gabriel. O camisa 10, com o gol praticamente vazio, não perdoou e empatou de cabeça para explodir a Vila Belmiro, que abandonou os xingamentos no mesmo instante e clamou: Santos, o time da virada!

Apesar do incentivo nos minutos finais, não teve jeito. O empate acabou sendo até lucro para os alvinegros e a caminha santista em busca da oitava final seguida de Paulistão começou apenas com um empate na Vila Belmiro, diante do São Bernardo.

FICHA TÉCNICA – SANTOS 1 x 1 SÃO BERNARDO

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)

Data: 30 de janeiro de 2016, sábado

Horário: 17h00 (de Brasília)

Árbitro: Jose Claudio Rocha Filho

Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis e Herman Brumel Vani

Cartões Amarelos: SANTOS: Gabriel. SÃO BERNARDO: Léo Veloso, Paulo..

Renda: R$ 389.315,00.

Público: 9.341 torcedores.

GOLS:

SANTOS: Lucas Lima, aos 36 do 2T.

SÃO BERNARDO: Luciano Castán, aos 10 minutos do 1T.

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Zeca; Renato (Neto Berola), Thiago Maia (Serginho) e Lucas Lima; Paulinho (Joel), Gabriel e Ricardo Oliveira.

Técnico: Dorival Júnior.

SÃO BERNARDO: Daniel; Eduardo, Diego Ivo, Luciano Castan e Léo Veloso; Daniel Pereira, Daniel Amora, Marino (Lucas) e Cañete (Jean Carlos); Jefferson Kanu (Paulo) e Magal;

Técnico: Roberto Fonseca

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes