Putin afirma que exclusão de atletas russos é ‘discriminação’, e Isinbayeva chora em evento

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e Yelena Isinbayeva (Foto: Reprodução)

Presidente da Rússia, Vladimir Putin adotou um tom agressivo e saiu em defesa do seu país, que teve parte da delegação banida dos Jogos Olímpicos Rio 2016 depois que o escândalo de um esquema de doping patrocinado pelo próprio governo foi divulgado. Em entrevista coletiva concedida no Kremlin de Moscou, Putin desaprovou o veto aos atletas russos e afirmou que “não há evidências concretas de doping”.

No momento da entrevista, o presidente se reunia com mais de 150 atletas que vão ao Rio competir. Resumidamente, ele considerou o banimento injusto.

– Um número de atletas russos sofreu injustamente, e não há evidências concretas de doping contra eles. A Rússia não pode concordar com a absoluta desclassificação dos nossos atletas. (A decisão) não vai apenas além da esfera legal, vai além do senso comum – declarou ele.

Putin também usou a palavra “discriminação”, garantiu que os atletas e o país vão se esforçar para limpar os seus nomes e disse acreditar que o veto servirá apenas para deixar os Jogos Olímpicos menos interessantes.

Por outro lado, o presidente, que já havia dito que não iria participar da cerimônia de abertura dos Jogos, também assegurou o fortalecimento no combate ao doping no país.

– A Rússia não vai apenas assumir a responsabilidade por todos aqueles atletas culpados por doping, mas também vai criar um sistema eficaz para lutar contra o doping – concluiu.

No evento, Yelena Isinbayeva, punida com a decisão da IAAF de excluir toda a equipe de atletismo do país dos Jogos, chorou. Em recado emocionado aos atletas que vão para o Rio, falou que a decisão foi feita de forma rude e sem chance de defesa.

– Mostre a eles o que vocês são capazes de fazer. Por vocês e por nós também – afirmou.

Yelena Isinbayeva chora no discurso de despedida dos atletas russos no Kremlin (Foto: Reprodução)
Yelena Isinbayeva chora no discurso de despedida dos atletas russos no Kremlin (Foto: Reprodução)

Somente a delegação russa de atletismo foi banida por completo por conta da acusação de doping, apesar da sugestão transparente da Wada para que isso fosse feito com o país inteiro. O Comitê Olímpico Internacional, no entanto, deixou a mercê das federações internacionais de cada modalidade decidir o que fazer. Na última segunda, a Federação Internacional de Remo excluiu três remadores da Rússia. O mesmo aconteceu com cinco atletas da canoagem.

Ao todo, cerca de 500 russos são aguardados no Rio para os Jogos Olímpicos, mas o staff administrativo reconhece a possibilidade desse número ser ainda mais reduzido até lá.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes