Por doping, atleta espanhola é suspensa por três anos e perde ouro

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Doping continua sendo um tema recorrente nas páginas esportivas da atualidade. Nesta quinta-feira, o uso de substâncias proibidas rendeu mais uma punição. Por “anomalias em seu passaporte biológico”, a fundista espanhola Marta Domínguez foi suspensa por três anos pela Corte Arbitral do Esporte (CAS) e perdeu sua medalha de ouro no Mundial de Atletismo de 2009, ano do qual datam os exames investigados.

Com a dura punição, a espanhola não tem removido apenas o lugar mais alto do pódio em Berlim, mas todos os resultados obtidos entre 5 de agosto de 2009 e 8 de julho de 2013, período no qual foram registrados números anormais em suas amostras sanguíneas, apontando para dopagem contínua.

A defesa de Domínguez reagiu pouco depois da decisão e já garantiu que recorrerá. Um dos argumentos utilizados por ela será de que as anomalias sanguíneas se devem a problemas de saúde, como hipotireoidismo e outras condições específicas.

Além da atuação nas pistas, a espanhola ingressou na carreira política. Atualmente, aos 40 anos, ela é senadora da cidade de Palência, onde nasceu. É integrante do Partido Popular, dentro do qual também pode enfrentar problemas após a punição.

A decisão divulgada nesta quinta-feira vem na esteira de polêmica mundial sobre dopagem. A Rússia teve sua equipe de atletismo suspensa, além de ser descredenciada pela Agência Mundial Antidoping (Wada). Tal entidade também colocou alguns países “na mira” por suspeita de irregularidades, e entre eles está a própria Espanha, além de Brasil, França e Bélgica.

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes