Maicon garante que “coisas” foram resolvidas e nega salários atrasados

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Capitão e zagueiro do São Paulo, Maicon concedeu entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, no CCT da Barra Funda. Como não poderia ser diferente, foi questionado pelos jornalistas acerca da má fase vivida pelo clube e o teor da reunião entre jogadores e diretoria na última quinta-feira, dia que sucedeu a derrota por 2 a 1 para o Juventude, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

Assertivo em suas respostas, o zagueiro que custou R$ 22 milhões ao cofre do Tricolor garantiu que os problemas internos foram resolvidos em uma “lavagem de roupa suja” conjunta com a diretoria, descartando a hipótese de que um suposto atraso nos salários estivesse atrapalhando o rendimento da equipe dentro de campo.

“As coisas internas já foram resolvidas entre diretoria e jogador, entre jogador e jogador. A gente sabe que a gente tem condições de sair dessa situação. A gente tem plantel forte, demonstramos na Libertadores e no início do Brasileiro, até mesmo no Paulista, que sempre tivemos poder de superação. As coisas já foram resolvidas, agora cabe a nós nos unirmos ainda mais”, bradou Maicon, após o treino comandado por Ricardo Gomes.

Em seguida, o zagueiro avisou que os jogadores, incluindo a si, devem assumir a responsabilidade neste momento de crise, solicitando uma entrega maior a cada um. “A gente tem jogadores de altíssimo nível, como já realcei. Agora é dar a cara pra bater, mostrar ainda mais caráter, saber que pode dar mais, eu sei que posso dar mais”, explicou, ciente da improbabilidade de título na atual temporada.

“Temos um plantel forte, pode não ser para ser campeão agora, mas não é para estar onde estar. Temos de sair dessa situação, nos incomoda, não está acostumado a viver. Tenho certeza de que trabalhando, vamos sair dessa posição”, acrescentou.

Por fim, o defensor fez questão de ressaltar que o São Paulo não deve salários aos atletas e que a diretoria oferece o respaldo necessário para que exerçam o futebol, admitindo que falta a cada jogador um pouco mais de “vontade”.

“Meu salário está em dia, caindo direitinho. Mas claro que uma conversa só no vestiário, com o presidente, não resolve os problemas. Se perder domingo, teremos novos problemas. Então tem que ser dentro de campo, nas quatro linhas. Não tem desculpa de salário, a diretoria tem correspondido para darmos ao nosso melhor. Não tem nada disso, está faltando um pouco mais de vontade nossa, não só minha, mas de todo elenco”, concluiu.

Com os problemas internos resolvidos, o São Paulo buscará amenizar a crise neste domingo, a partir das 16 horas (de Brasília), quando o time enfrentará o Coritiba, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro, no Morumbi, onde não vence há quatro jogos. No torneio de pontos corridos, o clube ocupa o modesto 11º  lugar, com 27 pontos, apenas quatro a mais que o Vitória, primeira equipe dentro da zona de rebaixamento.

Pela Copa do Brasil, o Tricolor fará o duelo de volta contra o Juventude somente no dia 21 de setembro, em Caxias do Sul, no estádio Alfredo Jaconi. O time comandado por Ricardo Gomes precisa de uma vitória por dois gols de diferença para avançar às quartas de final. Caso devolva o placar da primeira partida, a vaga será definida na disputa por pênaltis.

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes