Hamilton precisa fazer melhor volta duas vezes e garante pole para o GP da Inglaterra

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Correndo em casa, vindo de vitória na etapa anterior e mais rápido em todos os treinos livres… Lewis Hamilton era franco favorito para obter a pole position neste sábado, no treino classificatório para o GP da Inglaterra. A posição de honra no grid de largada, no entanto, veio com uma pitada de emoção. Logo no início do Q3, Hamilton obteve o melhor tempo (1m29s339), mas teve sua volta excluída por ter extrapolado os limites da pista na curva 9, desrespeitando uma orientação da direção de prova. Com isso, ele ficou sem tempo, caiu para 10º e viu Nico Rosberg, assumir a ponta provisoriamente com 1m29s606. Mas o tricampeão não se abalou. Retornou à pista nos minutos finais e, mesmo sob pressão, fez 1m29s287, volta ainda mais rápida que a anterior, e garantiu a pole, para delírio da torcida que enchia as arquibancadas do Circuito de Silverstone. O alemão companheiro de Mercedes ainda tentou bater o tempo na sequência, mas ficou em segundo.

– Eu acabei errando a primeira volta e espalhando, mas não foi intencional, só queria uma volta muito boa logo de cara. Quando você anota a pole logo na sua primeira tentativa, é um choque mental para os seus rivais. E era isso o que eu queria. Queria para mim e para o público que está aqui. Por isso, quando excluíram minha volta eu fiquei tranquilo. O Nico sabia que eu tinha aquela vantagem, que não era pequena, era uma boa vantagem. Então eu sabia que podia voltar à pista e fazer, no mínimo, o que já havia feito antes, ou até melhor – explicou Hamilton.

Não foi um dia proveitoso para os representantes brasileiros. Felipe Massa teve dificuldades para conseguir aderência com os pneus traseiros, não encontrou um bom ritmo com a Williams e acabou eliminado no Q2, ficando em 12º. Já Felipe Nasr foi o último dentre os que marcaram tempo no Q1 e largará à frente apenas do companheiro de Sauber, Marcus Ericsson, que não participou da sessão após sofrer um forte acidente no treino livre da manhã e ter que ir para o hospital fazer exames.

A RBR desbancou a Ferrari e se mostrou como segunda melhor força no Circuito de Silverstone. Max Verstappen e Daniel Ricciardo dominaram a segunda fila do grid, em terceiro e quarto. De contrato renovado com a Ferrari, Kimi Raikkonen ficou em 5º lugar. Seu parceiro Sebastian Vettel fez o sexto tempo, mas largará em 11º por ter trocado o câmbio antes da sessão.

Q1

Devido a ausência de Marcus Ericcson, que foi para o hospital realizar exames após o forte acidente no treino livre da manhã, apenas cinco pilotos foram eliminados no Q1. Felipe Nasr ficou com o último tempo dentre os 21 (1m33s544) e largará à frente apenas de seu companheiro de equipe. A dupla da Manor, Pascal Wehrlein e Rio Haryanto também foi eliminada, assim como Jolyon Palmer, da Renault.

O curioso caso ficou por conta de Jenson Button, que foi da decepção à euforia e retornou à decepção novamente. O piloto da casa terminou na zona de corte, em 17º, mas a McLaren acusou Kevin Magnussen de ter colocado todas as rodas fora da pista ao atacar uma das zebras, o que provocaria a perda de sua melhor volta e, consequentemente, a inversão de posições com o inglês. Button chegou a correr para os boxes da McLaren e colocar o macacão e o capacete novamente, mas a Renault recorreu, e a direção de prova decidiu não punir o dinamarquês. Rosberg (1m30s724) e Hamilton (1m30s739) fizeram os melhores tempos, seguidos por Verstappen, Raikkonen, Vettel e Ricciardo. Felipe Massa avançou em nono.

Eliminados no Q1:

Jenson Button (McLaren)

Jolyon Palmer (Renault)

Rio Haryanto (Manor)

Pascal Wehrlein (Manor)

Felipe Nasr (Sauber)

Não participou:

Marcus Ericsson (Sauber)

Q2

A segunda parte do treino classificatório marcou a eliminação de Felipe Massa. Sem conseguir encontrar um bom ritmo, o brasileiro acabou com o 12º tempo, 1m32s002, enquanto Bottas avançou em sétimo. Quem também deu adeus foram: Sergio Pérez, Romain Grosjean, Esteban Gutiérrez, Daniil Kvyat e Kevin Magnussen. Quem quase caiu fora foi Raikkonen. O finlandês rodou em sua primeira volta rápida, fritou pneus na segunda e só garantiu um lugar no Q3 em sua terceira tentativa. Os mais rápidos foram Hamilton (1m29s243) e Rosberg (1m29s970), acompanhados de longe por Verstappen, Vettel e Ricciardo. Sainz avançou em oitavo, Alonso levou a McLaren ao Q3 pela quarta vez, e Hulk completou o top 10.

Eliminados no Q2:

Sergio Pérez (Force India)

Felipe Massa (Williams)

Romain Grosjean (Haas)

Esteban Gutiérrez (Haas)

Daniil Kvyat (STR)

Kevin Magnussen (Renault)

Q3

Rosberg foi o primeiro a marcar tempo no Q3, com 1m29s606. Mas Hamilton veio logo na sequência, anotou 1m29s339 e assumiu a primeira posição. Após a primeira rodada de voltas rápidas, Verstappen aparecia em terceiro, seguido por Ricciardo, Raikkonen e Vettel.

Porém, Hamilton teve a sua volta excluída por ter desrespeitado os limites da pista na curva 9 e ficou provisoriamente sem tempo. Com isso, Rosberg subiu para primeiro. Hamilton, então precisou voltarà pista nos minutos finais para o tudo ou nada. O inglês não se intimidou com a pressão: fez a melhor primeira parcial, completou a segunda parcial acima do seu tempo anterior, mas fez uma terceira parcial assombrosa para cravar 1m29s287 e assegurar, agora de vez, a pole. Rosberg não conseguiu baixar seu tempo e terminou em segundo. Verstappen, Ricciardo, Raikkonen, Vettel, Bottas, Hulkenberg, Sainz e Alonso completaram o top 10. Vale ressaltar que Vettel perdeu cinco posições por ter trocado o câmbio.

GRID DE LARGADA

grid-de-largada-gp-inglaterra-090716

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes