Especial Dia dos Namorados: Amar faz bem para o corpo e a alma, afirmam especialistas da saúde

Hormônios liberados regulam humor, ritmo cardíaco, sono e até aliviam dores e afastam depressão

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

A proximidade do Dia dos Namorados, comemorado neste sábado, traz à tona a reflexão sobre o amor. Apesar de ser um sentimento nem sempre fácil de ser definido, faz bem para o corpo e a alma. Amar e sentir-se amado libera várias substâncias no organismo, como a serotonina, dopamina e endorfina, que dão sensação de alívio e bem-estar. Ajudam a regular o humor, o ritmo cardíaco, o sono e até aliviam dores, estimulam o sistema imunológico e ajudam a afastar a depressão e outras doenças psíquicas, enumera Renata Caputo S. Arcuri, psicoterapeuta do Grupo São Francisco, que integra o Sistema Hapvida.

Amor é um sentimento de carinho e demonstração de afeto que se desenvolve entre seres que possuem a capacidade de demonstrá-lo, frisa Renata. Não é tarefa fácil, pois as representações do sentimento podem mudar de pessoa para pessoa, dependendo das experiências vividas por cada uma delas. “Amar é um ato de extremo afeto, não sendo esperado algo em troca. Amor não se escraviza, não pede nada em troca. Simplesmente é um sentimento puro que faz bem”, afirma.

Amar não necessariamente depende de um outro. Amar a si mesmo é importante inclusive para amar os outros, lembra a psicoterapeuta. “Consigo amar o outro de forma sadia se antes tenho consciência do amor que tenho por mim. Não é egoísmo. É percepção de si. É conhecer-se (qualidades e defeitos) e saber lidar com essas habilidades de forma coerente. O processo terapêutico tem esta finalidade. Conhecer a si mesmo para encarar o mundo com maior assertividade”, lembra Renata.

O amor ajuda, inclusive, a enfrentar melhor adversidades, como este momento de pandemia. É uma força duradoura e equilibra as emoções das pessoas. Mas é preciso ficar bem claro que amor e possessão são sentimentos bem diferentes, frisa a psicoterapeuta. “Amor é um sentimento puro, que não gera dependência ou escravidão. É um ato genuíno. Possessão é sentir posse de algo ou de alguém, dono, propriedade. Esse sentimento não retrata o amor”, acrescenta.

Com Assessoria

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes