Espanha muda de posição sobre o Saara Ocidental e protestos acontecem em Madri

Cerca de 2.000 pessoas se manifestaram, neste sábado, em Madri, capital da Espanha, em apoio ao Saara Ocidental e para pedir a autodeterminação dessa ex-colônia espanhola dias após o governo espanhol apoiar a posição marroquina para esse território.

“Sánchez, traidor”, “Os saaraui decidem, eles não são sua moeda de troca” ou “Liberdade para o Saara” são algumas das frases que podiam ser lidas nos cartazes dos manifestantes.

Na sexta-feira, 18 de março, o governo espanhol deu um giro radical ao abandonar sua postura de neutralidade e apoiar o Marrocos em relação ao disputado território do Saara Ocidental, pondo fim a uma crise diplomática entre os dois países.

“É a última traição perpetrada pelo governo espanhol”, lamentou Pablo Marín, de 63 anos, entre bandeiras saarauis e do partido da esquerda radical, Podemos, que faz parte da coalizão do governo.

O conflito do Saara Ocidental, considerado território autônomo pela ONU, opõe, há décadas, o Marrocos com a Frente Polisário, apoiada pela Argélia.

Marrocos, que controla cerca de 80% desse território, propõe um plano de autonomia sob sua soberania. Os independentistas pedem por um referendo de autodeterminação organizado pela ONU, previsto no cessar-fogo de 1991, que nunca aconteceu.

O anúncio do governo espanhol acontece após uma crise diplomática com o Marrocos desencadeada, em abril de 2021, depois que a Espanha permitiu a chegada à Península do líder da Frente Polisário, Brahim Ghali, inimigo jurado do governo marroquino, para ser hospitalizado por causa do Covid-19.

O ponto mais alto da crise aconteceu em maio de 2021, quando milhares de migrantes forçaram a entrada em Ceuta, enclave espanhol no norte do Marrocos, graças a um relaxamento da vigilância das fronteiras do lado marroquino.

Segundo as autoridades locais, cerca de 2.000 pessoas participaram dos protestos de sábado em Madri. Vieram de toda Espanha, como Fatma Hamida, uma estudante de 20 anos que viajou de Zamora, em Castilha e Leão (nordeste).

“Nos manifestamos contra uma decisão de Pedro Sánchez, pela nossa liberdade de ocupar nosso próprio território que já temos (…) Temos direito de ter um território livre”, disse.

Salome Brahim, um agente comercial de 28 anos, que chegou de Valladolid, crê que os saaris foram “a moeda de troca diante dos interesses do reino marroquino”.

“Ninguém sabe porque a Espanha mudou de posição e “esse é o problema”, destacou.

Fonte: Yahoo!

Últimas

Obituário Botucatu abril

Botucatu: Obituário 22 de maio de 2022

22/05/2022

Celeste Alves Caetano – 79 anos Sepultamento Cemitério Portal das Cruzes 23/05/22 às 13h30 Complexo Funerário...

Categorias