Espanha já tem 30 casos de varíola dos macacos

Autoridades de saúde da Espanha relataram na sexta-feira 23 novos casos confirmados de varíola dos macacos, principalmente na região de Madri, onde o governo regional fechou uma sauna ligada à maioria das infecções. Já no país vizinho Portugal, foram identificados nove novos casos. Com isso, a contagem total na Espanha subiu para 30, enquanto que em Portugal o número foi para 23.

As autoridades de Madri estão trabalhando para rastrear os casos principalmente de um único surto em uma sauna, disse o chefe regional de saúde, Enrique Ruiz Escudero, a repórteres na sexta-feira. A palavra sauna é usada na Espanha para descrever estabelecimentos onde homens procuram fazer sexo entre si.

— O Departamento de Saúde Pública fará uma análise ainda mais detalhada… para controlar o contágio, cortar as cadeias de transmissão e tentar mitigar ao máximo a transmissão desse vírus — disse Escudero.

A região da Extremadura confirmou seu primeiro caso na tarde de sexta-feira. Está sendo investigado pelas autoridades nacionais de saúde, portanto ainda não está incluído na contagem nacional.

Outros 18 casos suspeitos estão sob investigação na Espanha, 15 na região de Madri, dois nas Ilhas Canárias e um na Andaluzia, disseram as autoridades de saúde.

Mais de 100 casos da infecção viral mais comum na África Ocidental e Central já foram relatados na Europa.

É uma infecção geralmente leve, com sintomas que incluem febre, dores de cabeça e uma erupção cutânea distinta.

Vinte casos foram detectados na Grã-Bretanha, onde as autoridades estão oferecendo uma vacina contra a varíola a profissionais de saúde e outros que possam ter sido expostos.

A Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido disse que uma proporção notável de casos recentes na Grã-Bretanha e na Europa foi encontrada em homens gays e bissexuais.

A Espanha está avaliando diferentes opções terapêuticas, como antivirais e vacinas, mas até agora todos os casos apresentam sintomas leves e, portanto, nenhum tratamento específico foi necessário, disse a ministra da Saúde espanhola, Carolina Darias, à imprensa na sexta-feira.

Os casos portugueses continuam em acompanhamento clínico, mas nenhum foi hospitalizado, pois estão todos estáveis, segundo a autoridade de saúde.

Fonte: G1