Espanha está “longe da vitória” contra o coronavírus, alerta Presidente

A Espanha está “longe da vitória” contra o novo coronavírus, alertou o presidente do Governo, Pedro Sánchez, neste domingo, diante de um aumento no número de mortes diárias pela pandemia.

“Estamos todos ansiosos para recuperar as relações, sair às ruas …, mas o desejo é ainda maior de vencer esta guerra, de evitar uma recaída”, disse o líder socialista em entrevista coletiva.

Apesar de já ter passado pelo pico da epidemia, segundo as autoridades de saúde, Sánchez afirmou que “ainda estamos longe de recuperar uma ‘nova normalidade’ em nossas vidas”.

Sánchez já anunciou que o confinamento a que os 46,6 milhões de espanhóis foram submetidos desde 14 de março pode ser estendido para além de 26 de abril.

“Após um mês de muita luta de toda a sociedade espanhola contra o vírus, a taxa de (crescimento de) infecções passou de 40% ao dia para cerca de 3% nos últimos dias”, parabenizou.

Número de mortes diárias voltou a crescer

A Espanha reportou, neste domingo (12), um aumento no número diário de mortes por coronavírus, com 619 óbitos nas últimas 24 horas, após três dias consecutivos de redução, segundo o ministério da Saúde.

Terceiro país do mundo com mais mortes por COVID-19, atrás dos Estados Unidos e da Itália, a Espanha registra um total de 16.972 vítimas fatais desde o início da pandemia.

No sábado (11), o saldo diário caiu para 510 mortes, o número mais baixo desde 23 de março.

O número de novos casos notificados em 24 horas, cerca de 4.100 neste domingo, marca um declínio em comparação ao dia anterior.

No total, o número de casos confirmados na Espanha chega a 166.019.

O número de pessoas que se recuperaram da doença também aumentou neste domingo, para 62.391, o que representa pouco menos de 40% do total de casos relatados.

As autoridades insistem que não é hora de “baixar a guarda” e, na segunda-feira, vão distribuir dez milhões de máscaras no transporte público, coincidindo com a retomada de atividades não essenciais, como construção e indústria, após duas semanas de paralisação.

Os espanhóis só podem sair de casa para trabalhar, se não puderem fazê-lo de suas casas, comprar comida ou remédios e passear com o cachorro, mas não podem, como em outros países, fazer exercícios ou caminhar.

“Desaceleração” ainda distante

“Nós não estamos entrando ainda na segunda fase da epidemia, que os especialistas chamam de ‘fase de desaceleração’, o alarme continua ligado, o confinamento geral se mantém”, destacou Sánchez.

“Esse retorno a certas atividades não é sinônimo de relaxamento e é por isso que a polícia continuará realizando controles de mobilidade, não vamos baixar a guarda”, anunciou María Pilar, comissária da Polícia Nacional.

As forças de segurança relataram um certo relaxamento nos últimos dias, coincidindo com a semana da Páscoa.

Prevendo o verão, mesmo que o confinamento seja retirado, as medidas de distanciamento social continuarão em vigor, mesmo nas praias, previu o ministro do Turismo, Reyes Maroto.

“Até a descoberta de uma vacina, nada será como antes” e “as aglomerações serão limitadas para manter a distância de segurança”, disse Maroto em entrevista ao jornal El País publicado neste domingo.

A Espanha é o segundo destino turístico mundial depois da França e o setor é crucial para sua economia, pois representa 12% de seu produto interno bruto.

Fonte: Yahoo!