Enigma da vitória-régia vira exemplo em vídeo que explica o que é o crescimento exponencial da pandemia; assista

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Um pesquisador brasileiro propõe um enigma para popularizar a explicação sobre como a pandemia do coronavírus se multiplica em crescimento exponencial. Maurício Féo, engenheiro que está concluindo o PhD em Física de Partículas em Genebra, na Suíça, gravou um vídeo fazendo analogia com vitórias-régias, um lago, e a quantidade de vitórias-régias que é possível tirar do lago durante um período de tempo.

O vídeo foi publicado em seu canal no YouTube, chamado “Engenheirando” (veja abaixo).

“Imagina que em um lago exista uma vitória-régia. E, a cada dia que passa, essa vitória-régia se reproduz e gera outra vitória-régia. Se depois de 30 dias, toda a superfície do lago está coberta de vitória-régia, qual é o dia em que o lago teria metade da sua superfície coberta por vitória-régia?”, questiona Féo no vídeo.

Se você respondeu “dia 15”, errou. “Se você acha que este dia seria o dia 15, você definitivamente não entende de crescimento exponencial. Se você acha que é depois do dia 15, mas não pode definir o dia a partir dos dados que eu dei, você também não entende completamente o crescimento exponencial”, afirma.

O vídeo alerta para a necessidade de agir antes do ponto crítico de multiplicação das vitórias-régias – em analogia ao coronavírus, antes que se atinja o pico de casos.

Féo demonstra como o lago fica cheio de vitórias-régias caso não haja contenção (retirada de plantas). Em outro cenário, fica claro como as transmissões do vírus podem ocorrer de forma sustentada caso haja a contenção de casos (isolamento social) (veja a íntegra do vídeo acima).

Por isso, especialistas alertam que as medidas de isolamento devem ocorrer antes que os hospitais estejam lotados – para dar tempo de as pessoas se recuperarem, saírem dos leitos, enquanto outras são levadas para receberem cuidados médicos.

“Não é possível mais frear a pandemia, em nenhum lugar do mundo. Se olhar o vídeo, [em analogia] o lago vai encher de vitória-régia, mas a gente ainda tem a chance de frear a velocidade em que isso vai acontecer para que o sistema de saúde não sature”, alerta.

Visualização de dados

A dificuldade em visualizar dados é um problema frequente na ciência, de acordo com Maurício Féo.

“É um problema que sempre vi na ciência, as pessoas explicam com tamanha dificuldade, não conseguem usar termos práticos, analogia do dia a dia. Por exemplo: o crescimento exponencial descreve epidemias e tantos outros fatores na vida. Mas, quando aprendi na escola, ninguém me explicou assim. Trazer os dados para cotidiano das pessoas é chave para divulgar esse tipo de informação”, afirma.

Morando na Europa desde 2016, o brasileiro Maurício Féo trabalha atualmente no Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (CERN, na sigla em francês) e conta que começou a acompanhar as notícias da pandemia ainda no início de março.

“Eu vi que toda epidemia aumenta exponencialmente, mas essa era bem mais infecciosa. Redigi um e-mail para meus colegas, amigos, e família, e comecei a alertar as pessoas no Facebook. Eu queria passar informações corretas, mas tudo que eu falava era levado para o lado político. A gota d’água foi ver compartilhamento de vídeo de hospital vazio, dizendo que a pandemia não tinha o risco que estavam dizendo. Mas, quando olhamos os dados, vemos que tem o risco, sim”, afirma.

“Foi por isso que fiz o vídeo: para explicar que em situações que evoluem exponencialmente, o fato de a situação não estar feia não significa em nada que não vai aumentar muito” – Féo

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes