Encontrada morta na prisão, mãe de Ísis Helena tinha histórico de brigas em penitenciária de SP

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Jennifer Natalia Pedro, acusada de matar a filha Ísis Helena,tinha um histórico de brigas e confusões na penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier, de Tremembé, no interior de São Paulo, onde foi encontrada morta na segunda-feira (22).

Documentos obito pelo Cidade Alerta comprovam as inúmeras discussões, xingamentos e ameaças que ela proferia contra outras detentas e até mesmo funcionárias do presídio.

Um registro do dia 14 de outubro de 2020 revela uma briga com uma colega de cela supostamente provocada pela ordem do banho. As duas estavam alertadas e Jennifer gritava. Em relatório, está descrito que “Jennifer estava gritando e disse que Eva [a companheira de cela] tinha entrado na frente dela no banho e que era sua vez de tomar banho. Eva estava com as costas molhadas e disse que estava lavando roupa quando Jennifer ligou o chuveiro em cima dela”.

Um relato do dia 15 de janeiro da chefe de equipe de vigilância da prisão descreve o comportamento de Jennifer. O registro diz que, antes que pudesse chegar à cela onde morava Jennifer, a presa começa a chutar a porta e grita proferindo palavras de baixo calão e xingamentos, dizendo: “Não quero ficar nessa porcaria de cadeia, vou fazer tudo pra acabar com essa porcaria de cadeia”. Jennifer afirma ainda que não admite que guardas mandem nela ou na cadeia. “Vou fazer a minha fama de matadeira”, ameaçou, começando pelas guardas. 

O corpo de Jennifer foi encontrado já sem vida na cela onde cumpria um castigo, depois de mais uma briga dentro da prisão. Jenifer tinha 26 anos e estava prestes a conseguir um habeas corpus até o julgamento.

A mãe de Jennifer, Rosa reconheceu o corpo da filha no IML (Instituto Médico Legal) não acredita que ela tenha cometido suicídio. Mesmo com todas as provas de ter enterrado o corpo de Isis Helena nas margens de um rio, e inventado versões diferentes para a morte da bebê, Rosa foi enfática eu defender a filha acusada de assassinar a própria neta dela. “Independente do que o mundo falar da minha filha, eu amo a minha filha, fui com ela até o fim, e faria tudo de novo”, afirmou.

Fonte: R7

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes