Em depoimento, ex-namorada do vereador Dr. Jairinho diz que ele dava remédio para ela dormir

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Novos trechos do depoimento de uma ex-namorada do vereador Jairinho levantam suspeitas sobre agressões cometidas pelo político. Em um deles, ela contou que Jairinho, que é médico, mas nunca exerceu a profissão, dava remédio para ela dormir.

A mulher começou a ser ouvida em um inquérito que trata de supostas agressões cometidas por Jairo Souza Santos Júnior, o vereador Dr. Jairinho. Essa investigação é paralela à que trata da morte do menino Henry Borel, de 4 anos, e enteado do político.

Ela contou que durante uma viagem a Mangaratiba, no Rio, a ex-namorada desconfiou que Jairinho estava lhe dando medicação para que, quando ela estivesse dormindo, ele pudesse falar com a ex-mulher.

Ela não usou o remédio, fingiu dormir e flagrou o vereador segurando a filha dela pelos braços. Apesar de não ver nada agressivo, a mulher afirmou à polícia que a filha estava assustada.

Em outro episódio, a ex-namorada contou para a polícia que Jairinho chegou a rasgar a roupa dela na rua ao vê-la chegando em casa depois de uma balada.

Disse também que quando ele estava só com a filha dela, dizia para menina: “Você atrapalha a vida da sua mãe!”, “A vida da sua mãe ia ser mais fácil sem você!”.

Revelou ainda que o vereador dava mocas, cascudos na cabeça, e torcia as pernas e os braços da criança. Em certa ocasião, numa piscina, ele afundou a cabeça da menina.

A mulher disse que parou de insistir que a filha acompanhasse Jairinho quando viu a resistência dela ao vereador, já que menina chorava muito e chegava a vomitar de tanto nervoso.

O advogado de Jairinho negou que ele tenha agredido a ex-namorada e filha dela.

“Esses episódios são de mais de uma década e sem qualquer testemunha. O que a gente quer mostrar é que em todas relações, Jairinho jamais teve comportamento violento”, disse o advogado André França Barreto.

Henry Borel com a mãe e Jairinho no elevador — Foto: Rperodução
Henry Borel com a mãe e Jairinho no elevador (Foto: Reprodução)

Hospital não gravou imagens do casal

Já no inquérito que apura as circunstâncias da morte do menino Henry Borel, de 4 anos, imagens dos últimos momentos de vida dele foram divulgadas. No vídeo, é possível ver Henry no elevador com a mãe, Monique, e Jairinho voltando e uma padaria.

Nas imagens, Jairinho passa a mão no cabelo da criança e faz carinhos nas costas do menino, que continua com a cabeça baixa no colo da mãe.

A polícia começou a fazer novas perícias no apartamento e Jairinho e Monique nesta segunda-feira (29). O RJ2 descobriu que o hospital Barra D’or, para onde Henry foi levado, não forneceu as imagens das câmeras de segurança do momento em que o casal Jairinho e Monique levam o menino para ser socorrido.

O motivo seria a manutenção do sistema de monitoramento de câmeras, que estava sendo feito de madrugada no dia 8 de março.

Outros funcionários do hospital serão ouvidos pela polícia esta semana.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes