Elefante raríssimo de 50 anos é morto com flecha envenenada

O elefante Satao II tinha cerca de 50 anos (Foto: Tsavo Trust/ Reprodução)

Caçadores ilegais usaram uma flecha envenenada para matar um raro elefante africano, de estimados 50 anos e dono de presas gigantes. A informação foi divulgada por conservacionistas da organização Tsavo Trust, que administra o Parque Nacional Tsavo East, no Quênia, onde vivia o animal.

A carcaça de Satao II foi localizada por agentes do serviço de proteção à vida selvagem do país, perto do Rio Voi, durante um sobrevoo para pesquisas de reconhecimento. Segundo os conservacionistas da Tsavo Trust, ele foi vítima de uma flecha envenenada.

Os ambientalistas acreditam que Satao II estava se alimentando perto dos limites do parque, quando foi atacado. Os caçadores, no entanto, não tiveram tempo de retirar suas presas – que podem pesar mais de 45kg e são vendidas no mercado negro por valores altos.

Segundo os conversacionitas da “Tsavo Trust”, no local onde o animal foi morto outros três elefantes já haviam sido atacados por caçadores.

Logo após a descoberta da carcaça de Satao II, agentes do serviço de proteção à vida selvagem do Quênia fizeram uma operação durante a qual dois caçadores foram presos. Com eles foram apreendidas 12 flechas envenenadas, um arco e um fuzil.

Existem atualmente apenas 21 animais da espécie de Satao II, cujas presas de marfim crescem durante toda a vida, e por isso são alvos atraentes para os caçadores, vivendo na África. Desses, dez vivem em parques protegidos pelo “Tsavo Trust”.

Satao II era dotado de presas gigantes (Foto: Tsavo Trust/Reprodução)

Fonte: G1

Scroll Up