‘É hora de agir’ contra lobby de armas nos EUA, diz Biden após ataque a escola no Texas

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse em um pronunciamento nesta terça-feira (24) que “é hora de agir” contra o lobby de empresas de armas no país.

“Como uma nação, nós devemos nos perguntar ‘quando é que vamos nos opor ao lobby das armas?'”, disse em discurso na Casa Branca. “É hora de agir”.

A fala ocorre poucas horas depois que um homem de 18 anos abriu fogo contra alunos de uma escola de ensino fundamental do Texas, matando 18 crianças e uma professora.

“Eu esperava que, quando me tornasse presidente, não tivesse que fazer isso de novo”, disse Biden visivelmente abalado. “Pais que nunca verão seus filhos novamente.”

Biden discursa em Washington nesta terça-feira (24) após tiroteio em escola no Texas (Foto: Reprodução)

O democrata pediu ainda que os americanos pressionem seus representantes no Congresso para que deixem de barrar as votações de propostas que podem limitar o acesso às armas.

Desde que assumiu a presidência dos EUA, Joe Biden tem advogado contra a venda de armas e pede maior controle federal sobre o tema.

No ano passado, Biden chegou a apresentar uma proposta limitando o acesso, mas o assunto no país é bastante polarizado e o direito de portar armas está na 2ª Emenda da Constituição americana.

Sempre que o estado tenta controlar o acesso a este tipo de equipamento, grupos lobistas recorrem à Justiça para derrubar a decisão.

Lobby é um modelo institucionalizado de negociação desde a Constituição de 1791 nos EUA, prática regularizada, e que permite que grupos defendam seus interesses diante dos órgãos públicos.

Ataque no Texas

Um tiroteio em uma escola de ensino fundamental no Texas, Estados Unidos, deixou 18 crianças mortas e uma professora nesta terça-feira (24), informaram as autoridades americanas. O incidente foi registrado na escola Robb Elementary, na cidade de Uvalde, a 130 km de San Antonio.

O caso já é considerado como o mais mortal dos EUA desde o massacre na escola Sandy Hook, em Connecticut, que deixou 26 pessoas mortas – 20 crianças entre 6 e 7 anos e seis adultos – em 2012. O criminoso foi identificado pelas autoridades como Salvador Roma, de 18 anos.

Criança chora com adulto após tiroteio em escola no Texas em 24 de maio de 2022 (Foto: Reprodrução)

Cada vez mais comum

Tiroteios em massa têm se tornado mais comuns nos EUA e o número de casos como esse tem aumentado nos últimos anos.

Em 2021, foram 34 ataques em escolas, o maior número registrado desde 1999 – quando iniciou a série histórica –, segundo levantamento do jornal “The Washington Post”.

Não há um balanço oficial do governo americano que registre o número de ataques com armas em escolas do país.

Criança em meio a policias após tiroteio em escola de ensino fundamental do Texas, nos EUA, em 24 de maio de 2022 (Foto: Reprodução)

Fonte: Yahoo!