Duilio banca Mancini no Corinthians e nega busca por Dentinho

Em sua primeira entrevista como presidente do Corinthians, Duilio Monteiro Alves bancou a permanência de Vagner Mancini para a temporada.

Com contrato até dezembro, o técnico vem conseguindo bons resultados no Campeonato Brasileiro e hoje tem a equipe buscando uma vaga na Libertadores.

– Mancini é o treinador do Corinthians para o ano. Ele vem fazendo um grande trabalho, estamos muito satisfeitos, jogadores e funcionários se adaptaram bem. O time começou a apresentar um bom futebol, estamos invictos. Vamos com o Mancini até o fim do ano, mas esperamos que ele permaneça mais tempo. Temos como cultura a manutenção do treinador, do trabalho, a gente sabe que futebol leva tempo. A gente vê um caminho muito bom pela frente.

Com o Brasileirão fechado para inscrições, o presidente disse que não tem buscado reforços neste momento. Ele negou que esteja conversando com Dentinho, hoje no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia.

– Por enquanto só existe o que foi falado pela imprensa. Não tive nenhuma conversa com ele. O próximo campeonato que o Corinthians poderá fazer inscrições é o Paulista, então não é momento ainda de falar em contratações. No caso dele, não existiu nenhuma conversa, mas isso tudo vai depender de números, do treinador, se ele quer contar com o atleta. Tudo isso não foi discutido ainda. A gente vem em uma fase importante do Brasileiro.

– A gente pretende manter a base, mas agora com o treinador participando do planejamento. Manter a base e reforçar com reforços pontuais, sem fazer loucuras, com oportunidades que aparecem. Primeiro é a manutenção do elenco com as peças que o Mancini pedir, depois pensar no grupo para o próximo ano. Mas como coloquei, não é momento de grandes contratações, temos que ter responsabilidade financeira. Nosso elenco não é ruim. Infelizmente não vivíamos um bom momento em campo, mas com o passar do tempo, com o Mancini, o time começou a se ajeitar e mostra que vai brigar lá em cima, como sempre fez nos últimos anos.

O presidente falou sobre os seus planos para o triênio:

– Temos que ter uma gestão responsável, nos preocupar com os compromissos que temos que honrar. Estamos trabalhando em alongamento de compromissos, para ganhar fôlego. Com certeza será uma gestão pés no chão, com pouco investimento imediato no futebol e em outras áreas. Vamos trabalhar em duas frentes: reduzir despesas e aumentar receitas. A gente já vem trabalhando, José Colagrossi atuando no marketing, temos boas novidades pela frente, mas sempre com responsabilidade.

– O Corinthians vai ser transparente em relação a finanças. Já ganhamos campeonatos com times não muito caros e também com grandes estrelas. O Corinthians tem seu diferencial de não desistir nunca, faz parte do seu DNA. Vamos trabalhar com pés no chão e trabalhando muito para aumentar receitas e sempre ter um time forte

Duílio Monteiro Alves tem 45 anos, é empresário, e iniciou sua vida no Corinthians em 2009, quando foi diretor cultural. Tornou-se diretor adjunto em 2011, deixando o cargo em 2014. Retornou ao clube em 2018 e ficou por três anos como diretor de futebol.

Veja outros trechos da entrevista coletiva de Duilio:

Momento do clube

– Quero, em primeiro lugar, falar um pouco do que é o Corinthians hoje. Assumimos o Corinthians hoje como o segundo maior clube das Américas, o maior da América Latina, com mais de 40 milhões de torcedores, um clube gigantesco, com uma torcida apaixonada. Eu tenho total dimensão do que significa isso, a responsabilidade que a partir de hoje nós assumimos, de representar o nosso amado Corinthians, um clube gigantesco, dos maiores do mundo. E sei muito bem o trabalho que vamos ter e também a satisfação de saber tudo que iremos realizar. O Corinthians hoje tem a Arena com sua questão financeira equacionada, a estrutura profissional estruturada, tanto no futebol profissional quanto no de base. Somos referência no Brasil e no mundo no futebol feminino. E, para finalizar, o Corinthians foi o campeão da década, um clube que vem conquistando muito.

Duílio Monteiro Alves com os seus vices no Corinthians — Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians
Duílio Monteiro Alves com os seus vices no Corinthians (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)

Acordo com a Caixa

– Existe um acordo praticamente fechado, como foi noticiado pela imprensa um pouco antes do fim do mandato do presidente Andrés. Está entre os jurídicos, preparando os contratos, não é fácil, envolvem valores altos. Não é um contrato simples de ser feito, mas está muito bem encaminhado. Não quero dar um prazo, mas assim que o Corinthians der um novo prazo vocês serão informados, sempre tratando os temas do clube com transparência. Numa questão desse tamanho, o presidente tem que estar ligado, mas também envolve o departamento jurídico e financeiro. Estarei à frente, mas com toda essa retaguarda que a gente vem montando nos últimos dias.

Planos para os primeiros 100 dias

– Quando falei reformulação, falo em modo geral, não só do futebol. Falo do clube social, das outras diretorias, a gente vem com uma diretoria toda nova, dando oportunidades para quem quer ajudar o clube. Precisam ser feitas mudanças, principalmente na parte administrativa. É um ano diferente, como todos os outros clubes. Nos anos normais a gente iniciava o planejamento na metade do ano, mas esse ano é diferente, os campeonatos não terminam. O Paulista começa dia 28 de fevereiro, temos dois meses pro próximo campeonato. A gente vai começar agora um planejamento, até porque estamos assumindo agora. Temos que trabalhar muito em cima dos compromissos, das dívidas, das contas que temos a pagar nos próximos meses e trabalhar muito para trazer novas receitas.

Pretende reduzir a dívida?

– Existe sim (o plano), nós temos metas bem definidas, mas eu prefiro que cada diretor, dentro da sua área, que passa para vocês, para colocar de forma mais detalhada, para o torcedor ter todo o entendimento. Temos também, como coloquei durante toda a campanha, metas de aumento de receitas, que são bem possíveis. A gente já vem trabalhando bem forte nisso nesse último mês que iniciamos a transição.

Dinheiro da venda do Pedrinho

– Entrou uma parte ano passado, pagamos umas contas, mas o restante ainda não. A gente vem com a transição, com o Wesley assumindo o financeiro, também tentando fazer com que isso aconteça o mais rápido possível, precisamos desse recurso. Mas mesmo sem ele, o Corinthians vem pagando muitos dos seus compromissos. Como eu disse, vamos renegociar outros, alongar prazos, e esperamos que nos próximos dias essa grande parte que falta da venda do Pedrinho entre, que vai nos ajudar muito.

Duílio Monteiro Alves, novo presidente do Corinthians — Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians
Duílio Monteiro Alves, novo presidente do Corinthians (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Contratos curtos de Otero, Cazares e Jemerson

– Quando eles chegaram foi a condição de eles virem, para nós, na época, em termos financeiros foi muito boa. Alguns deles até diminuíram o valor do salário que ganhavam, com vontade de vir para o Corinthians. Temos ainda algum tempo, mas temos que começar a conversar, sim. Isso vai ficar no comando do futebol, com o Roberto e o Alessandro, mas cada situação é uma situação. Vamos conversar, mas na hora certa. Assim que tivermos certeza que é importante para o clube que esses jogadores permaneçam, vamos fazer de tudo para que eles continuem.

Categoria sub-23

– Não é o Duilio, é um estudo de futebol, o período de maturação dos atletas, na maioria, é até os 23 anos. Muitas vezes perdemos jogadores que estouram a idade no Sub-20, mas que ainda não estão prontos para o profissional. Aí depois vemos jogadores que saíram daqui que, na época não estavam prontos, mas que estourou com 24 ou 25 anos. Existem exemplos aqui no Corinthians e em outros clubes. Mas isso muda muito, existem jogadores que fazem uma grande base, mas não viram realidade. Então entendo e vamos continuar com o Sub-23, mas vamos mudar muita coisa. Vamos fazer uma nova diretoria da base como um todo, para termos o sub-20 e o sub-23 como porta de entrada para o profissional. Temos o exemplo do Roni, que veio treinar com o sub-23 e acabou ficando. Vamos manter, mas organizar e fazer um time forte.

Futebol feminino e outras modalidades

– O nosso futebol feminino é um exemplo para o Brasil e para o mundo. A gente vem entregando tudo que tem de melhor para nossas atletas. Também a nossa diretora Cris, que deixo aqui meus parabéns. Já renovamos contratos de algumas atletas, teremos manutenção da maioria das nossas guerreiras. Esse ano com duas Libertadores e outros campeonatos estaremos brigando como o Corinthians. Tivemos reduções de valores, temos que reduzir nossos gastos um pouco para equalizar os compromissos com as receitas. Mas vamos trabalhar firme para novas receitas. Vamos trabalhar para trazer receitas para futsal, basquete, para termos condições de transformar o nosso clube com fluxo positivos, nos amadores, profissionais e olímpicos.

Compliance

– Vamos trazer uma das maiores empresas dessa área, ainda vamos revelar qual. Todos nós, juntos, vamos fazer o Corinthians maior.

Meta da gestão

– Que seja competente, participativa e, principalmente, transparente. Hoje o Corinthians tem todas as estruturas físicas necessárias para ser tornar um dos maiores do mundo. Hoje somos o segundo maior das Américas. O que o Corinthians precisa hoje é uma gestão transparente, que mude e transforme essa parte administrativa. O legado que quero deixar é modificar essa administração para algo moderno e transparente.

Sonho realizado

– Eu cheguei onde eu busquei. Quero ser um excelente presidente, deixar um legado e ser lembrado pela administração, pela transformação do clube, que é o que o Corinthians mais precisa agora. Me dedicar só ao Corinthians nesses três anos, e depois cuidar da minha esposa, dos meus filhos, porque o futebol nos afasta de casa. É uma rotina muito dura. Então quero fazer meu papel, me entregar ao máximo, e daqui três anos enxergar um bom trabalho e ir para casa.

Fonte: G1 – Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Scroll Up