Duas pessoas morrem após avião com paraquedistas fazer pouso de emergência em Boituva

Duas pessoas morreram e pelo menos sete foram socorridas em estado grave depois que uma aeronave usada para saltos de paraquedistas fez um pouso de emergência no início da tarde desta quarta-feira (11) na zona rural de Boituva, no interior de São Paulo.

De acordo com a Associação de Paraquedistas de Boituva, no momento do pouso, 16 pessoas estavam a bordo da aeronave, sendo que 12 foram socorridas a hospitais da região e duas delas morreram. Quatro pessoas não precisaram de atendimento médico.

A associação informou que a aeronave decolou com atletas do Centro Nacional de Paraquedismo (CNP), mas teve uma pane elétrica e o piloto precisou fazer um pouso forçado.

O CNP é um espaço com 99 mil metros quadrados que promove aproximadamente 20 mil lançamentos por mês. O presidente do centro lamentou o acidente.

De acordo com a Prefeitura de Boituva, é o local onde mais se salta de paraquedas no mundo, entre saltos turísticos e profissionais, com cerca de 120 decolagens diárias.

Avião com 16 pessoas fez pouso de emergência em Boituva (SP) — Foto: Prefeitura de Boituva/ Divulgação
Avião com 16 pessoas fez pouso de emergência em Boituva (SP) (Foto: Prefeitura de Boituva/ Divulgação)

O acidente foi registrado por volta das 12h20. Equipes da Polícia Militar, dos bombeiros e da prefeitura foram ao local.

A prefeitura informou que, a princípio, todas as vítimas foram socorridas ainda com vida e levadas ao Hospital Municipal São Luiz. A Polícia Militar acionou reforços de Campinas e São Paulo, inclusive com o helicóptero Águia, para ajudar no resgate.

Bombeiros fazem resgate em acidente de Boituva (SP).  — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação
Bombeiros fazem resgate em acidente de Boituva (SP). (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Polícia Militar foi ao local do acidente envolvendo um avião em Boituva (SP) — Foto: Polícia Militar/Divulgação
Polícia Militar foi ao local do acidente envolvendo um avião em Boituva (SP) (Foto: Polícia Militar / Divulgação)

O que diz a FAB

Em nota, a Força Aérea Brasileira (FAB) informou que investigadores do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) foram acionados para realizar a ação inicial da ocorrência em Boituva.

Conforme a FAB, na ação inicial, “são utilizadas técnicas específicas, conduzidas por pessoal qualificado e credenciado, os quais realizam a coleta e confirmação de dados, a preservação de indícios, a verificação inicial de danos causados à aeronave, ou pela aeronave, e o levantamento de outras informações necessárias ao processo de investigação”.

A FAB ressaltou que o objetivo das investigações realizadas pelo CENIPA é prevenir que novos acidentes com características semelhantes ocorram.

Prefeitura e CNP lamentam

Já a Prefeitura de Boituva emitiu uma nota lamentando o acidente. Segundo a administração municipal, o avião pertence à empresa de Serviço Aéreo Especializado “Skydive4Fun”, instalada no Centro Nacional de Paraquedismo (CNP).

A prefeitura informou que viaturas da Guarda Civil Municipal (GCM), da Polícia Militar e dois helicópteros Águia prestaram os primeiros socorros no local do acidente, e que servidores também estiveram no local para prestar suporte.

O município disse ainda que duas reuniões foram realizadas recentemente na Prefeitura de Boituva sobre o protocolo de atendimento de segurança, adoção de procedimentos e melhorias na gestão, estrutura e operação das atividades no CNP.

Já o presidente do CNP afirmou que “lamenta e se solidariza com os familiares e amigos dos atletas que perderam a vida nesse trágico acidente, bem como com os que sofreram ferimentos e estão sob cuidados médicos”.

“O momento é de tristeza, união e solidariedade. Estamos no aguardo das investigações, para que sejam identificadas as causas do acidente”, completou em nota.

Fonte: G1