Dólar tem leve alta e volta ao patamar de R$ 3,90 com incerteza eleitoral

O dólar encerrou a quinta-feira (16) em leve alta diante do quadro de incerteza com a eleição presidencial deste ano. A moeda norte-americana chegou a recuar no início dos negócios, com algum alívio no exterior após a China ter anunciado que vai realizar nova rodada de negociações comerciais com os Estados Unidos, segundo a Reuters.

A moeda-norte-americana subiu 0,09%, a R$ 3,9032. Na mínima do dia, chegou a R$ 3,8675 e, na máxima, a R$ 3,9260.

A incerteza com o quadro eleitoral também fez com que o principal índice de ações da B3 terminasse a sessão em queda de 0,34%, a 76.818 pontos.

Uma delegação chinesa liderada pelo vice-ministro do Comércio, Wang Shouwen, se reunirá com representantes dos EUA liderados pelo subsecretário do Tesouro para Assuntos Internacionais, David Malpass, informou o Ministério do Comércio chinês nesta quinta.

Embora o engajamento tenha sido visto por analistas e empresários externos como positivo, eles alertaram que as negociações provavelmente não levariam a um avanço, já que ocorrerão entre funcionários de segundo escalão.

Internamente, os investidores seguiam monitorando o início da campanha eleitoral.

“Começou a temporada de boatos, que vai até a definição do presidente. O mercado primeiro reage e depois reavalia”, disse à Reuters o diretor de operações da corretora Mirae, Pablo Spyer.

Atuação do BC

O Banco Central brasileiro ofertou e vendeu integralmente 4,8 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, rolando US$ 2,88 bilhões do total de US$ 5,255 bilhões que vence em setembro.

Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

Fonte: Yahoo!

Scroll Up