Dólar fecha em alta após 3 quedas, com retorno de intervenção do BC

O dólar fechou em alta nesta sexta-feira (1º), após ter chegado a cair pela manhã. O dia foi marcado pela volta da interferência do Banco Central no câmbio após mais de um mês sem atuação.

A moeda subiu 0,60%, a R$ 3,2328 na venda.

Acompanhe a cotação ao longo do dia:

Às 9h09, alta de 0,35%, a R$ 3,2244

Às 9h29, alta de 0,14%, a R$ 3,2177

Às 9h49, queda de 0,04%, a R$ 3,2119

Às 10h, queda de 0,32%, a R$ 3,2029

Às 10h49, queda de 0,2%, a R$ 3,207

Às 10h59, alta de 0,17%, a R$ 3,2188

Às 11h30, alta de 0,46%, a R$ 3,2280

Às 11h49, alta de 0,64%, a R$ 3,2340

Às 12h20, alta de 0,95%, a R$ 3,2434

Às 12h50, alta de 0,86%, a R$ 3,2411

Às 13h20, alta de 0,68%, a R$ 3,2352

Às 13h50, alta de 0,47%, a R$ 3,2286

Às 14h29, alta de 0,48%, a R$ 3,2290

Às 15h09, alta de 0,21%, a R$ 3,2202

Às 15h39, alta de 0,18%, a R$ 3,219

Às 16h30, alta de 0,62%, a R$ 3,2334

Na semana, o dólar acumulou alta de 4,34%. No ano, a moeda dos EUA tem desvalorização de 18,11%.

A intervenção do BC veio um dia após o dólar encostar em R$ 3,20 pela primeira vez em quase um ano na sessão passada.

Banco Central voltou a interver

O BC anunciou leilão de até 10 mil swaps reversos, que equivalem a compra futura de dólares – movimento que tende a elevar a taxa de câmbio. Toda a oferta foi vendida. Foi a primeira operação desse tipo em mais de um mês e também a primeira desde a chegada de Ilan Goldfajn à presidência do BC.

O BC não fazia leilão de swap reverso desde 18 de maio, segundo a Reuters, o que gerou entre investidores a percepção de que Ilan estaria mais disposto a tolerar cotações mais baixas do que seu antecessor, Alexandre Tombini.

A operação da sessão equivaleu a compra futura de US$ 500 milhões, segundo a Reuters. Com isso, o estoque de swaps tradicionais do BC, que correspondem à venda futura de dólares, cai para o equivalente a cerca de US$ 61,6 bilhões. O estoque girou acima de US$ 100 bilhões ao longo de quase todo o ano passado.

Fonte: G1