DAE endurece rodízio no abastecimento de água e volta e deixar torneiras secas por 2 dias em Bauru

O Departamento de Água e Esgoto (DAE) de Bauru (SP) anunciou no início da noite desta sexta-feira (5) que vai endurecer o rodízio no abastecimento de água para os moradores atendidos pelo sistema de captação do Rio Batalha e deixar parte dessa população dois dias com as torneiras secas.

O novo esquema, que começa a vigorar a partir da próxima segunda-feira (8), passará do atual período de alternância de abastecimento de 24/24 horas para o de 24/48 horas.

Além disso, o DAE também está programando dividir os bairros atingidos dos atuais dois para três grupos de revezamento, a serem divulgados neste sábado (06).

Segundo o DAE, a justificativa para o endurecimento no sistema de rodízio foi a falta de chuva e a temperatura em elevação, o que faz com que o nível da lagoa de captação do Rio Batalha entre em declínio acelerado, registrando nesta sexta-feira 2,66 m (o ideal é 3,20 m).

A medida não possui prazo definido e, segundo a autarquia, será interrompida assim que o nível da lagoa voltar a ficar equilibrado.

As demais regiões da cidade, que são abastecidas por água subterrânea (poços), não serão afetadas pela interrupção no abastecimento de água.

Nesta sexta-feira (5), segundo o DAE, nível da lagoa do Batalha estava em 2,66m (o ideal é 3,20m) — Foto: Juliana Lobato/DAE
Nesta sexta-feira (5), segundo o DAE, nível da lagoa do Batalha estava em 2,66m (o ideal é 3,20m) (Foto: Juliana Lobato/DAE)

O DAE disponibiliza caminhões-pipa para o atendimento nas regiões afetadas através dos telefones 0800-7710195 (ligações de telefone fixo), ou (14) 3235-6140/6179 (celular).

Com o nível da lagoa de captação do Rio Batalha se mostrando pouco estável, a preocupação dos cerca de 40% dos moradores de Bauru atendidos pelo manancial é que o sistema de rodízio, que já dura quase sete meses, esteja longe de acabar.

Como neste ano o nível da lagoa ainda não chegou a 1,51 metro, marca registrada no início de outubro do ano passado, a menor da série histórica apurada pelo DAE, há ainda o temor de que o esquema de rodízio seja radicalizado, como em 2020, quando esse setor da cidade ficava três dias sem abastecimento de água.

Neste ano, o rodízio foi implantado em 16 de abril, um dia depois do registro do menor nível de 2020, quando a lagoa atingiu 2,08m.

Fonte: G1 – Foto: Juliana Lobato/DAE

Scroll Up