Corpo de cão Shurastey é cremado nos EUA e cinzas virão para SC

O corpo do cão Shurastey, que morreu junto com o tutor, o brasileiro Jesse Koz, em um acidente de trânsito nos Estados Unidos, foi cremado na quinta-feira (26), segundo o amigo do influenciador Matheus Menezes. O procedimento foi pago com recursos de uma vaquinha online, que bateu a meta de R$ 120 mil em cerca de três horas.

A expectativa, segundo o amigo, é de que as cinzas do golden retriever cheguem a Santa Catarina junto com o corpo de Jesse, entre 20 a 30 dias, para uma cerimônia de despedida. A espera ocorre por conta dos trâmites burocráticos relacionados à documentação.

Menezes mora em Guaíba (RS) e contou que costumava viajar para Balneário Camboriú, com a companheira, para visitar o amigo. “Ele vinha aqui e nós íamos a Balneário”, comentou.

A cremação de Shurastey foi uma exigência da legislação internacional, para que ele possa retornar a Santa Catarina ao lado do tutor.

Conhecidos por viajarem o mundo, o influenciador e o cachorro estavam em um Fusca 1978 que colidiu contra outro veículo, próximo da cidade de Portland, nos Estados Unidos. Segundo Felipe Pires, amigo do influenciador desde 2012, após a batida, o passaporte do brasileiro ficou retido com a Polícia de Oregon, que investiga o acidente. Ele conta que o governo de Santa Catarina e o Ministério das Relações Exteriores estão ajudando no processo de translado do corpo.

“Tem que pegar o passaporte [com a polícia] para fazer o atestado de óbito americano. Aí, depois, fazer a certidão de óbito brasileira”, afirmou o amigo. “Existe bastante trâmites burocráticos”, disse.

Jesse Koz e Shurastey queriam chegar ao Alasca — Foto: Jesse Koz/Arquivo Pessoal
Jesse Koz e Shurastey queriam chegar ao Alasca (Foto: Jesse Koz/Arquivo Pessoal)

Seguidores nas redes sociais passam de 1 milhão

A dupla era acompanhada por mais de 400 mil seguidores nas redes sociais e já havia passado por 17 países. O destino final da viagem era o Alasca. No Instagram, o perfil da iniciativa ultrapassou 1 milhão de seguidores na quarta-feira (25).

Em um site em que compartilhava as histórias da viagem, o brasileiro contou que iniciou a jornada em 6 de maio de 2017. Veja, abaixo, um trecho do que o brasileiro escreveu:

Junto de Dodongo, como o fusca foi apelidado, Koz percorreu 17 países. A viagem fazia parte de um projeto, chamado “Shurastey or Shuraigow?”, uma adaptação inspirada na música “Should I Stay or Should I Go” (traduzido do inglês Devo Ficar ou Devo Ir), da banda The Clash.

“Eu sou o Jesse, em 2017 entediado e cansado de apenas sobreviver trabalhando de 8 a 10 horas por dia dentro de um shopping em Balneário Camboriú decidi que a vida é mais do que ficar só esperando. Queria fazer algo novo, algo diferente, algo que fizesse meu coração vibrar, que eu lembrasse alguns anos à frente e me fizesse sorrir do nada, apenas com a memória de que a minha vida valeu a pena ser vivida”.

Como aconteceu o acidente

O casal Diego Strutz e Roana Petri Celeste acompanhava, em outro veículo, Koz e Shurastey no trecho final da jornada. De acordo com Roana, o influenciador não conseguiu frear a tempo quando um carro parou na rodovia para fazer uma conversão à esquerda. “Perdeu o controle do fusca e bateu de frente com o carro que vinha no outro lado”, descreveu ela.

A viagem da dupla fazia parte de um projeto chamado “Shurastey or Shuraigow?”, uma adaptação inspirada na música “Should I stay or should I go” (“Devo ficar ou devo ir?”), da banda The Clash.

Imagem mostra como ficou Fusca de influenciador e cachorro que morreram em acidente nos EUA (Foto: NSC TV/Reprodução)

Fonte: G1