Conheça o cão farejador da GCM que ajudou a polícia a chegar ao suspeito de matar estudante da Unicamp

Um cão farejador da Guarda Civil Municipal (GCM) de Vargem Grande do Sul (SP) foi fundamental no desfecho do caso da estudante da Unicamp assassinada com 28 facadas, segundo a Polícia Civil.

O pastor belga malinois Scotty, de 3 anos, ajudou a polícia a chegar ao suspeito que confessou ter matado Mayara Roquetto Valentim em São João da Boa Vista (SP). “Ele pôde guiar a busca policial”, disse o delegado Fabiano Antunes de Almeida nesta quinta-feira (19).

Após um cerco, Michael Douglas da Silva, de 28 anos, foi preso pela Polícia Civil e o Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) da Polícia Militar de Piracicaba (SP), na manhã de quarta-feira (18).

Ao ser interrogado, o suspeito afirmou que matou a jovem de 23 anos no domingo (15) para roubar o celular dela. Silva, que ainda não tem advogado de defesa, disse ao delegado que se arrependeu. Ele ainda não tem advogado de defesa.

Buscas por Michael Douglas, suspeito de matar estudante, continuam em São João da Boa Vista — Foto: Carioca Notícias Policiais
Buscas por Michael Douglas, suspeito de matar estudante, continuam em São João da Boa Vista (Foto: Carioca Notícias Policiais)

Cão ‘colocou’ suspeito no local do crime

Silva estava escondido na mata porque no sábado (14) tentou matar uma vizinha na pensão onde ele morava atualmente. A arma, que foi apreendida pela polícia, falhou. A jovem não se feriu.

A Polícia Civil desconfiou do suspeito e conseguiu ligá-lo ao assassinato de Mayara após solicitar o apoio do canil da Guarda Municipal.

O GCM Charles Rodrigo Cruz com o cão Scotty durante as buscas em São João da Boa Vista (SP) — Foto: Guarda Civil Municipal/Divulgação
O GCM Charles Rodrigo Cruz com o cão Scotty durante as buscas em São João da Boa Vista (SP) (Foto: Guarda Civil Municipal/Divulgação)

Na segunda-feira (16), os agentes Rogério Bocamino e Charles Rodrigo Cruz foram até São João da Boa Vista e pegaram algumas roupas de Silva na pensão. Depois, levaram Scotty para a área de mata, a cerca de 2,5 km de onde o corpo de Mayara foi encontrado, e deram as roupas do suspeito para o cão cheirar.

“O cachorro sentiu o cheiro da roupa e guiou os guardas e a polícia até o local do assassinato, o que colocou Silva na cena do crime”, disse Bocamino, que é diretor de Segurança e Trânsito de Vargem Grande do Sul e está na GCM há 27 anos.

Serra da Paulista, local onde corpo de Mayara Roquetto Valentim, de 23 anos, foi encontrado em São João da Boa Vista  — Foto: Ely Venâncio/EPTV
Serra da Paulista, local onde corpo de Mayara Roquetto Valentim, de 23 anos, foi encontrado em São João da Boa Vista (Foto: Ely Venâncio/EPTV)

Com isso, Silva passou a ser o principal suspeito na morte da jovem. “Nesse caso o cachorro nunca erra. O faro é certeiro e preciso, a gente não teve dúvida de que o rapaz que cometeu a tentativa de homicídio esteve na cena do crime no domingo”, disse o GCM.

O cão Scotty ajudou em algumas incursões na terça-feira (17) a cada nova informação que chegava à polícia. Na quarta pela manhã, um sitiante informou que um funcionário teria visto o suspeito pela região.

O GCM Cruz levou o cachorro que novamente farejou o local onde Silva havia dormido. Lá, encontrou um chinelo que ele usava e uma lona.

O GCM Charles Rodrigo Cruz com o cão Scotty, que ajudou a polícia no crime de São João da Boa Vista — Foto: Guarda Civil Municipal/Divulgação
O GCM Charles Rodrigo Cruz com o cão Scotty, que ajudou a polícia no crime de São João da Boa Vista (Foto: Guarda Civil Municipal/Divulgação)

“Aí tivemos a certeza de que ele estava no local, Aí foi feito um cerco ele e foi capturado”, contou Bocamino. Segundo ele, o parceiro chegou a se acidentar. Ao enfiar pé esquerdo em um buraco, rompeu o ligamento e vai precisar ficar ao menos 15 dias afastado do trabalho.

Para o delegado de São João da Boa Vista, o trabalho do canil da GCM foi de grande a importância. “O cão farejador encontrou objetos, o local onde ele [suspeito] estava dormindo. Foi essencial”, disse Almeida.

Parceria no combate ao crime

O pastor belga malinois Scotty, de 3 anos, integra o canil da GCM de Vargem Grande do Sul — Foto: Guarda Civil Municipal/Divulgação
O pastor belga malinois Scotty, de 3 anos, integra o canil da GCM de Vargem Grande do Sul (Foto: Guarda Civil Municipal/Divulgação)

De acordo com Bocamino, Scotty está na corporação desde os 45 dias de vida. Além dele, o canil conta com a ajuda de mais três cães, todos da mesma raça.

“É um cão atleta, que não cansa, extremamente inteligente, bom de adestrar. Todas a polícias e GCMs têm optado por essa característica. É bom de faro, no policiamento, e muito bom na busca e captura”, avaliou Bocamino.

Os cães da GCM passam por um treinamento diário, seja de faro, busca e captura ou de obediência.

“Eles são nossos parceiros, a gente não considera eles cachorros, considera eles guardas. Eles são fantásticos, um trabalho indispensável para a GCM tanto no combate ao tráfico de entorpecentes, na busca e captura em local de mata, eles são imprescindíveis”, disse.

O pastor belga malinois Scotty, de 3 anos, integra o canil da GCM de Vargem Grande do Sul — Foto: Guarda Civil Municipal/Divulgação
O pastor belga malinois Scotty, de 3 anos, integra o canil da GCM de Vargem Grande do Sul (Foto: Guarda Civil Municipal/Divulgação)

Fonte: G1

Últimas

Adolescente de 13 anos pode responder por estupro de menina de 11 anos que fez aborto

24/06/2022

Com DNA recolhido, o adolescente de 13 anos, apontado como responsável pela gravidez da menina de 11 anos em Santa...

Categorias