Confirmado! Botucatu vacinará antecipadamente 100% a população adulta em estudo da Unesp com a vacina AstraZeneca/Oxford

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Conforme antecipado pelo Jornal Leia Notícias há mais de 10 dias, o Prefeito de Botucatu, Mário Pardini, divulgou nesta terça-feira, 27, que o Município se tornará a segunda Cidade do País a se beneficiar da vacinação em massa contra o Coronavírus, vacinando toda a população adulta. Ainda não foi divulgado o início do projeto na Cidade.

Em sua rede social, com uma foto ao lado do Ministro de Saúde, Marcelo Quiroga, em Brasília, Mário Pardini divulgou. “Sabe quem poderia unir num projeto único de pesquisa de interesse científico mundial, Prefeitura Municipal, Ministério da Saúde, Governo Federal, UNESP, Hospital das Clínicas/Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade de OXFORD e Fundação Gates? Só DEUS!!!”, postou Pardini.

O projeto é da Unesp, através do médico infectologista Dr. Carlos Magno Castelo Branco Fortaleza, que fez contato com a Fundação Bill e Melinda Gates, levado ao Ministério da Saúde, em Brasília, pelo Reitor da Unesp, Dr. Pascoal Barreti, e pelo Prefeito Mário Pardini, irá vacinar a população adulta de Botucatu com a vacina AstraZeneca/Oxford, que será fornecida pela FioCruz, em um “estudo em vida real”.   

A projeção é que seja vacinada a população de Botucatu entre 18 anos e 65 anos, aproximadamente 80 mil pessoas, que ainda não foram vacinadas na Cidade. Idosos com mais de 65 anos já foram ou já terão sido vacinados pela Secretaria de Saúde.

O projeto, que será implantado em Botucatu, tem como objetivo avaliar a efetividade no mundo da vacina Astrazeneca/Oxford, associada ao sequenciamento genético das diferentes cepas variantes em circulação.

A pesquisa clínica será feita em uma parceria da Fiocruz, Fundação Bill e Melinda Gates, Unesp/HCFMB e Prefeitura de Botucatu.

Em contato com a reportagem, o médico responsável pelo projeto, Dr. Carlos Magno Fortaleza explicou o projeto. “A intenção é vacinar toda a população de Botucatu com idade entre 18 e 65 anos, pessoas que ainda não foram vacinadas. Nossa projeção é de aproximadamente 80 mil pessoas. Será algo inédito no País, é bem maior do que o que ocorreu em Serrana, pelo número maior de pessoas que serão vacinadas. É um estudo clínico, que irá beneficiar a população”, disse.

Dr. Carlos Magno explicou ainda a importância do apoio da Fundação Bill e Melinda Gates, que foi contatada por ele e apresentou ao Ministério da Saúde. A Fundação irá fazer toda a parte laboratorial de identificação das variantes.

O médico infectologista Dr. Carlos Magno Castelo Branco Fortaleza é o responsável pelo projeto

Exemplo de Serrana

No Brasil, a cidade de Serrana, no Estado de São Paulo, foi o primeiro município a fazer esse tipo de estudo em vida real, mas foi realizado para avaliar a eficácia da vacina do Butantã, a Coronovac.

Todos os moradores com mais de 18 anos tiveram direito à vacina, o equivalente a cerca de 28 mil pessoas no município que tem pouco mais de 46 mil habitantes. Só ficaram de fora mulheres grávidas, pessoas com doenças crônicas e pessoas com sintomas de Covid-19. Ainda não existem resultados oficiais sobre os efeitos da imunização em massa na cidade. O Instituto Butantã prometeu divulgar as primeiras análises em maio. Mas a Prefeitura de Serrana já destacou que houve quedas drásticas nas internações e nos casos graves da doença.

A cidade pode aproveitar a imunização em massa para ativar a economia e estuda criar um programa de estímulos para as indústrias da região que quiserem investir no município. O grande diferencial do projeto D, como vai ser chamado, é que a partir de agora Serrana é a única cidade do país a contar com uma população economicamente ativa protegida contra Covid-19.

Jornal Leia Notícias

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes