17 abril, 2024

Últimas:

Começa desembarque de cruzeiro com mais de 100 casos de coronavírus no Uruguai

Anúncios

Passageiros do cruzeiro australiano Greg Mortimer, com mais de 100 casos de coronavírus a bordo, começaram nesta sexta-feira a desembarcar no porto de Montevidéu para embarcar em um avião médico com destino a Melbourne.

Cerca de 110 australianos e neozelandeses começaram a desembarcar do navio que estava ancorado nas águas uruguaias por duas semanas com mais de 200 pessoas a bordo, das quais 128 deram positivo para coronavírus, de acordo com o proprietário do navio.

Anúncios

“Se tudo correr bem, o Uruguai concluirá uma missão humanitária complexa, mas necessária. Não consideramos isso uma opção, mas um imperativo ético”, disse o ministro das Relações Exteriores Ernesto Talvi, usando uma máscara, em uma entrevista coletiva na porto, onde ele chegou para observar a operação.

O governo uruguaio, que considera todos os que estão no navio de cruzeiro como contaminados pela COVID-19, coordenou a evacuação após “uma colaboração muito próxima” com sua contraparte australiana e com a companhia de navegação Aurora Expeditions.

Anúncios

Por volta das 21h40, os passageiros começaram a desembacar para subir em quatro ônibus que se encaminham para o Aeroporto Internacional de Carrasco com uma forte escolta policial.

Uma vez no terminal aéreo, subirão direto em um Airbus A340 com uma equipe médica à bordo que chegou a Montevidéu nesta manhã e está programado para partir para a Austrália às 01H40 no sábado.

A evacuação será realizada “sob rigorosas medidas sanitárias”, para que os passageiros não passem pelas áreas da imigração nem manejem bagagem.

O avião será organizado por áreas de risco, “com passageiros sentados de acordo com os resultados dos testes e o nível de atendimento necessário”, afirmou a companhia de navegação australiana Aurora Expeditions.

Imagens televisionadas da doca do navio de cruzeiro mostravam como alguns passageiros balançavam uma bandeira com a inscrição “Thank you Uruguay” (“Obrigado, Uruguai”, em inglês).

Talvi garantiu que recebeu inúmeros sinais de agradecimento hoje. “Temos uma carta que um passageiro escreveu que é realmente comovente, absolutamente e totalmente comovente. Somente essa carta valeu tudo isso”, disse.

Cinco altas

Enquanto isso, cinco das oito pessoas que dias atrás tiveram que deixar o navio para serem hospitalizadas em Montevidéu devido a graves sintomas de coronavírus receberão alta, informou o ministro das Relações Exteriores.

Entre elas estão três passageiros australianos que embarcarão no voo humanitário. Trata-se de um casal que saiu do navio na quarta-feira com pneumonia e outro cidadão australiano que havia sido hospitalizado na semana anterior. Os outros que poderão sair do hospital são dois tripulantes filipinos que retornarão ao navio para quarentena.

Um cidadão britânico e dois australianos permanecerão internados na capital uruguaia. Os dois últimos, um homem e uma mulher com casos mais graves, têm parceiros no navio, que permanecerão em Montevidéu.

“Com todas as garantias sanitárias, eles serão levados ao hospital para acompanhar seus cônjuges. É um período difícil para eles, não queremos que eles saiam quando o marido e a esposa estão passando por um momento difícil e estão sozinhos, disse Talvi.

Após a evacuação, mais de 80 tripulantes e cerca de vinte passageiros americanos e europeus ainda ficarão no cruzeiro. O ministro destacou que a tripulação é mais jovem “e, portanto, menos exposta a riscos”.

Depois de estocar água, combustível e alimentos e evacuar resíduos, o navio retornará à área de ancoragem no sábado, a cerca de 20 km do porto de Montevidéu.

“Quando a quarentena terminar, os passageiros restantes certamente poderão retornar por meio de linhas comerciais e a tripulação voltará ao destino pretendido do navio”, afirmou Talvi.

A empresa de transporte informou nesta sexta-feira que está trabalhando em opções de voos fretados para poder levar europeus e americanos para suas casas.

Greg Mortimer, de bandeira das Bahamas, partiu do Ushuaia em 15 de março, onde planejava ir para Ilhas Malvinas, sul da Geórgia e depois navegar pela costa da Península Antártica.

Após os primeiros sinais de COVID-19 entre os passageiros, que segundo as hipóteses poderiam ter sido contaminados na cidade do sul da Argentina, o navio mudou de rumo e acabou na costa de Montevidéu. O governo uruguaio não lhe deu permissão para desembarcar, mas enviou um grupo de médicos e funcionários de laboratório para realizar testes e prestar assistência médica.

Fonte: Yahoo!

Últimas

Lantronix Anuncia Novos Rastreadores de Computação Edge FOX4 e Bolero 43, Expandindo Sua Premiada Família de Gateways Telemáticos

17/04/2024

Novas soluções da Lantronix visam o mercado de telemática de alto crescimento estimado em US$ 3,7...

Categorias