Com 1ª dose da AstraZeneca, idosa de 80 anos recebe CoronaVac na 2ª vacina em Cerquilho

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Uma idosa de 80 anos recebeu a segunda dose da vacina contra a Covid-19 em Cerquilho (SP) na segunda-feira (7). Mas o que era para ser uma situação de alívio se transformou em preocupação para a família. É que a mulher recebeu doses diferentes do imunizante: da AstraZeneca (1ª dose) e da CoronaVac (2ª dose).

A prefeitura de Cerquilho reconheceu o erro e informou que “providências estão sendo tomadas para a apuração dos fatos por meio de investigação interna”.

“A prefeitura tomou conhecimento do fato ocorrido e imediatamente tomou as providências necessárias, que inclusive estão previstas no Plano Nacional de Imunização para quando há ocorrência destes eventos.”

Segundo o Ministério da Saúde, a orientação é que a vacinação contra a Covid-19, com a CoronaVac e a AstraZeneca, ocorra em duas doses, mas do mesmo imunizante. Caso ocorra o intercâmbio de vacinas, não é recomendado a administração de doses adicionais ou o reinício do esquema vacinal.

A filha da idosa contou que levou a mãe para tomar a segunda dose do imunizante no drive-thru do Centro de Eventos Cidade das Rosas na segunda-feira (7). Segundo a moradora, já havia três meses que a idosa tinha tomado a primeira dose da vacina de Oxford, no dia 1º de março, e por isso, as duas foram até o local para que a mãe tomasse a dose de reforço.

“Veio uma moça, viu a carteirinha da minha mãe e anotou a vacina, mas pensei que eles sabiam o que estavam fazendo. Eu só fiquei preocupada se estavam aplicando o líquido, nem passou mais nada pela minha cabeça”, conta a filha, que preferiu não se identificar.

De acordo com a família, a idosa entrou com a filha na fila de carros e foi imunizada normalmente. No entanto, ao chegar em casa, parentes notaram que, na carteirinha de vacinação da moradora, constava que ela tinha tomado a segunda dose da CoronaVac, e não da AstraZeneca.

Doses da AstraZeneca e CoronaVac — Foto: Divulgação/SES
Doses da AstraZeneca e CoronaVac (Foto: Divulgação/SES)

A família procurou a prefeitura de Cerquilho e disse que duas funcionárias da saúde foram até a casa da idosa para dar orientações. Elas confirmaram para a filha da idosa que foi aplicada a segunda dose da vacina errada na moradora de Cerquilho.

“A moça que foi na casa da minha mãe disse que pode ter acontecido o erro porque estavam dando a CoronaVac para gestante, mas como não iam ver que a minha mãe é ‘velhinha’?”, questiona.

Ainda segundo a filha da idosa, as funcionárias da saúde pediram desculpas pelo ocorrido e disseram que iriam imunizá-la com a segunda dose da AstraZeneca na próxima semana, contrariando a orientação do Ministério da Saúde, para completar o ciclo da vacinação. A família também disse que a idosa está bem e não teve reações à vacina.

Porém, conforme a nota da prefeitura, nada seria feito, além do acompanhamento da moradora, conforme orientação recebida. A Secretaria Estadual de Saúde reforça que a prefeitura deve acompanhar o caso da paciente.

O Ministério da Saúde informou que estudos sobre o tema estão sendo realizados, para avaliar a efetividade e segurança das vacinas trocadas e ajustar as recomendações nestas circunstâncias.

A prefeitura de Cerquilho completou dizendo que “a idosa esta sendo assistida pela Secretaria Municipal de Saúde e Promoção Social, encontra-se em ótimo estado de saúde e será acompanhada por equipe médica”.

Até a manhã desta quinta-feira (10), mais de 11,9 mil doses de vacinas contra o coronavírus foram aplicadas em moradores da cidade, o que representa 24% da população geral, sem registro de nenhuma intercorrência, informou a prefeitura.

A cidade registra 5.141 casos confirmados de Covid e 111 mortes pela doença.

Faz mal?

A infectologista Rosana Richtman disse que essa “mistura” de doses não deve acontecer, pois a orientação é usar a vacina do mesmo fabricante. No entanto, ela informou que a mescla dos imunizantes não faz mal.

Segundo Richtman, não existe uma pesquisa sobre usar CoronaVac e AstraZeneca, é apenas uma questão de manter o mesmo tratamento e obter os resultados de anticorpos que as vacinas prometem.

Fonte: G1 – Foto: Arquivo pessoal

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes