Botucatu: Segredos por Haroldo Amaral

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Câmara. Diversas lideranças partidárias ouvidas pela coluna são unanimes em afirmar que após o segundo turno, na próxima semana, seja qual for o resultado para presidente ou governador, haverá mudanças em composições dos partidos e também na gestão pública. É possível que o PSDB, PDT, PSB, PSC mudem para mais ou para menos suas bases.

Partidos. Nos partidos sem representante no Legislativo também é grande a possibilidade de alteração. Petistas afirmam que lideranças estão retornando à legenda depois de saírem e passarem por outras. Também há quem garanta, em outros partidos de esquerda de Botucatu, alterações ‘negativas’, como o PSOL e o PCdoB. Por enquanto são sensações dos envolvidos no dia a dia partidário e político.

Silêncio. Após as eleições, vem sendo comentado o silêncio dos apoiadores de Skaf na cidade. No meio político, e em alguns posts na rede social, tem gente querendo saber o rumo que vai tomar Lelo Pagani, Reinaldinho, Edinho Baptistão, entre outros. Uns dizem que eles estão com Bolsonaro e Doria, outros dizem que eles estão com França e Bolsonaro. Até agora o MDB de Botucatu não saiu do muro.

Pesando. Nessa alteração política que possa estar se vislumbrando no Brasil e em São Paulo, há quem diga que a situação do Prefeito Mário Pardini também vai mudar. Ele vai ter de sair do conforto dos deputados, com os quais se acostumou a conversar e pedir ajuda, e terá de pavimentar novos caminhos. Na escolha desses caminhos tem tucano dizendo que o melhor é se afastar de João e Fernando Cury.

4 mil. Uma das saídas do prefeito Pardini é o deputado Samuel Moreira (PSDB), que teve na cidade 4,8 mil votos e dedicação de campanha eleitoral da equipe do chefe do executivo. Por outro lado, há quem diga que se der Doria, Pardini terá acesso já construído, mas se der França, essa conversa não vai ser confortável para ele ou para os interlocutores quebrarem o gelo inicial de governo.

Tobias. O prefeito tucano de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, declarou apoio a Márcio França e criticou João Doria por ter desrespeitado os princípios e a história do partido, tentando tirar a vaga do ex-governador Alckmin. Em Botucatu, até quem é adversário de João Cury está esperando Pedro Tobias expulsar o prefeito de Santos, como fez com outros muitos tucanos. Tobias já tem o carinhoso apelido de Stalin de Bauru.

Izaias Colino. Ainda falando de mudanças no PSDB, após “desfiliar” e perder João Cury, um dos principais pilares da última década do partido, principalmente em Botucatu e região, os tucanos podem perder mais um forte nome. O presidente da Câmara, Izaias Colino, vereador mais votado na Cidade na última eleição, e que está em seu segundo mandato, pode aproveitar a “janela” de saída e bater asas para longe do ninho. Izaias Colino, que mantém estreitos laços com João Cury, é um dos nomes mais comentados para concorrer à Prefeitura de Botucatu em 2020 e poderá ter que enfrentar o Prefeito Mário Pardini nas urnas.

Matriz política. Historicamente, alguns pontos são locais de conversas políticas, como barbearias, salões de cabeleireiros e cafés. Por exemplo, no Café do Ponto, a turma da hora do almoço avalia que Bolsonaro e Doria serão os eleitos. A turma da tarde, no mesmo estabelecimento, quase no fechamento, entende que Bolsonaro ganha, mas eles têm dúvidas sobre Doria e apostam em vitória de França. Aguardemos os prognósticos!

Jornal Leia Notícias Por Haroldo Amaral

 

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes