Botucatu: Segredos e Bastidores – Por Haroldo Amaral

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Acelera. A visita de Doria, candidato ao governo de São Paulo, foi acompanhada por dois deputados, um do PSDB e outro do PRB. Doria fez uma das primeiras ações no interior para o horário eleitoral. Ele chegou atrasado, quase meia hora, e não fez a esperada caminhada pela Rua Amando de Barros, como é tradição dos tucanos desde a primeira eleição de Mário Covas na Cidade. Ele chegou a caminhar alguns metros na Amando, mas para tomar café. Ao final da visita foram pagos pelo cortejo político cinco cafés e alguns salgados.

Direto ao Ponto. A visita de João Doria foi caracterizada pelo candidato ir “direto ao ponto”. Quando chegou ao Diretório Municipal do PSDB, cumprimentou rapidamente os correligionários e dirigiu-se para a sala reservada para entrevista coletiva. Ele chamou Mário Pardini para compor a mesa e a entrevista começou com respostas engatilhadas a cada pergunta dos jornalistas, que durou menos de 20 minutos.

Caminhada.Após a entrevista, uma rápida caminhada pela Rua Moraes Barros, até o Café do Ponto, na Amando de Barros, tradicional espaço para as discussões políticas de botucatuenses. Ali ele tirou fotos com populares e tomou o tradicional cafezinho. Na Rua João Passos ainda parou para gravar com alguns simpatizantes. No trajeto algumas pessoas gritaram apoio a Doria, mas também teve gente que atravessou a rua para não cumprimentá-lo.

Sem Pastel. “Não tem pastel, vai o de Belém”. Doria queria comer pastel de queijo, lanche preferido da maioria dos candidatos para transmitir imagem de que são populares e sem luxo, mas a opção oferecida era o Pastel de Belém, que é doce e de certa forma poderia comprometer a aparência fitness do candidato. Ele comeu assim mesmo. Após o lanche, tirou fotos com clientes do estabelecimento e com o proprietário e seguiu ‘acelerado’ para SP.

Amando. A visita do tucano ao ‘comércio’ de Botucatu foi extremamente rápida e deixou diversos tucanos irritados, pois alguns se concentraram na Praça do Bosque, onde desejavam caminhar com o candidato até o Café do Ponto. Pouquíssimos militantes, a maioria ligada à Juventude Tucana, que tem forte influência de Izaias Colino, prestigiou a campanha. Diversos vereadores da bancada de apoio de Mário Pardini não compareceram ao evento.

Cuidado com o cão. Na Cachoeira do Véu de Noiva, após gravar mensagem para o horário de televisão e conhecer o projeto defendido por Mário Pardini, João Doria estava retornando ao veículo que o transportava com equipe quando viu uma criança e resolveu cumprimentá-la. A criança de aproximadamente 3 anos saiu correndo assustada com os seguidores do candidato. Ao perceber o candidato entrando no imóvel uma senhora gritou: “Cuidado com o cachorro lá no fundo, ele é bravo”. Metade do cortejo recuou e Doria arriscou. A criança entrou na casa e Doria atrás. O cão foi dócil, não atacou Dória, que gravou para a tv.

Parou. O prefeito Mário Pardini fez questão de levar o candidato tucano até o futuro reservatório de abastecimento de Botucatu e também mostrar o empreendimento imobiliário que está em curso na região Sul da cidade. Ele pediu ajuda para duplicar a rodovia e mostrou ainda o Parque Tecnológico, onde o cortejo do candidato parou por cerca de dez minutos. Doria não desceu do carro e ficou respondendo perguntas de jornalistas de São Paulo, que faziam uma entrevista por telefone.

Jornal Leia Notícias por Haroldo Amaral

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes