Artigo: Vida deste lugar – Por Dr. André Balbi

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Aos poucos vejo a rotina do HC voltando, após as festas de final do ano. Interessante como nossa vida é feita por ciclos que se repetem enquanto o tempo passa. A vida do HC também é assim, embora a rotina seja sempre a de um hospital lotado.

Também aos poucos o corpo clínico se recompõe, as férias terminam para muitos e o alivio chega para os que ficaram, que passam a dividir a rotina da demanda em mais mãos. Mas as urgências continuam, muitos sobrevivendo e alguns nos deixando, como sempre foi e será.

Os alunos chegam confiantes, animados após curto período de descanso, ocupam seus estágios e vão crescendo como pessoas que amadurecem, gerando dentro de si um novo médico que vai nascer em poucos anos e ocupar seu lugar de menino. Espero que estes médicos-meninos sejam bons profissionais e boas pessoas e que saibam ouvir. Que acreditem em Deus, mas que não acreditem que sejam Deus.

E os médicos residentes que logo nos deixarão iniciam o processo de troca de roupa. Vão deixando o velho jaleco cheio de trabalho, cansaço e aprendizado para vestirem a roupa branca que a cada mês vai ficando mais cara, com marcas famosas em suas etiquetas. Seguros, bem preparados, mas ainda frágeis, cheios de dúvidas e incertezas. E os dias seguintes vão trazer a maturidade e a certeza de que quanto mais viverem menos saberão sobre a vida, de tão complexa que ela é. E então suas roupas, mesmo brancas, milagrosamente serão menos caras.

Os novos médicos residentes também chegam, na mesma proporção que os que aqui estavam vão partindo. Troca de guarda, troca de equipe, e as doenças se renovando a cada momento, surpreendendo muitos e levando todos a um trabalho coletivo para salvar vidas com qualidade. Vida de todos e não de alguns.

E o HC continuando sólido, sustentado por suas paredes de mais de 60 anos, cheios de impressões digitais das milhares de mãos que por aqui passaram e cujos donos retornam, agradecidos, cheios de boas lembranças e saudades.

Fico observando estas cenas, que se repetem a cada ano, envolto no trabalho duro de dirigir este gigante que não dorme e nem pode descansar. E lembro de algumas cenas que vi ao assistir o lindo show de encerramento da turnê Clube da Esquina, ao lado de uma milhares de pessoas, muitas delas em prantos, emocionadas ao ouvirem Maria Rita e o velho Milton Nascimento cantando … é a vida deste meu lugar…

**Dr André Balbi é médico nefrologista, professor associado de Nefrologia da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB) e atual Superintendente do HCFMB.

Jornal Leia Notícias

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes