Artigo: Gêmeos siameses – Por André Balbi

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Mais mais um ciclo da jo­vem Faculdade de Medi­cina de Botucatu (FMB) se encerra com a troca de seus diretores. Embora a Profa Maria Cristina (Kika) tenha sido vice-diretora do Prof Pasqual Barretti nos últimos 4 anos, sua pos­se como diretora, tendo a Profa Jacqueline Caramori como sua vice, representa o ponto final de uma gestão democrática e participa­tiva implantada pelo Prof Barretti e reconhecida por todos que o acompanha­ram neste período. Cabe­rá às novas gestoras, pela primeira vez na história da FMB, duas mulheres, a ma­nutenção desta prática em uma nova etapa.

Líder natural e hábil articu­lador, muitas vezes o Prof Barretti obteve conquistas por saber recuar em vez de avançar sem ter a certeza do sucesso, qualidade rara entre os gestores públicos. Conviveu durante seu man­dato com crises recorrentes no país, no estado e na pró­pria UNESP. Soube contor­ná-las sem traumas ou gran­des prejuízos.

O HC de Botucatu e a FMB sempre tiveram uma relação profunda de dependência mutua. São como gêmeos siameses em uma condição única na qual a FMB nasceu antes, mas dentro do HC. A autarquização deste último, ocorrida há quase 10 anos, colocou-os sob risco de mor­te quando se tentou separá­-los.

O Professor Barretti iniciou a reconstrução da ligação destes gêmeos, mas de modo que o resultado se tornasse melhor do que sempre foi. Contando com instituições mais maduras, conhecedoras de seus limites, foi possível agregar a este grupo a parti­cipação da Famesp, forman­do um tripé coeso e integra­do.

Com as novas diretoras, mais desafios irão se apresentar. Por isto, a FMB precisa ino­var, ter criatividade, cobrar seus pares e arriscar para continuar sendo uma das melhores formadoras de mé­dicos e enfermeiros do país. Não pode haver acomodação e nem o esquecimento de que vai sempre precisar do apoio do gêmeo mais novo para so­breviver.

Pelo seu lado, o HC não pode esquecer suas origens e a quem deve servir. Precisa continuar exercendo as múl­tiplas combinações da assis­tência-ensino-pesquisa que sabe fazer e assumir seu protagonismo nas situações que se fizerem necessárias. Só assim continuará cres­cendo com a FMB, nem mais e nem menos que ela.

O atual HC-cidadão, que tem a organização e a hu­manização como suas me­tas referenciais, agradece a participação decisiva da dupla Barretti-Kika em sua história recente e conta com a manutenção desta parceria no novo ciclo que se inicia sob o comando da dupla Kika-Jacque. Para­béns a todos.

Dr. André Balbi é médico nefrologista, professor associado de Nefrologia da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB) e atual Superintendente do HCFMB.

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes