Clima mais frio agrava dores articulares e musculares e prejudica bem-estar dos pets

Quem sofre com problemas nas articulações sabe que as dores nesta região aumentam à medida que a temperatura do ambiente fica mais baixa. Com os cães não é diferente. “Assim como as pessoas, os animais sofrem em dobro com a chegada de temperaturas mais frias, que se tornam mais comuns no outono e, principalmente, no inverno”, explica Jaime Dias, gerente técnico de animais de companhia da Vetoquinol Saúde Animal.

“Em temperaturas baixas, para manter o corpo aquecido, ocorre uma maior contração da musculatura, o que pode sobrecarregar as articulações e, caso o animal apresente alguma lesão osteoarticular ou tenha sofrido alguma fratura, geralmente são eles os que mais sofrem no período frio”, explica o especialista.

Esse é apenas um fator. As articulações possuem um certo tipo de lubrificante, o líquido sinovial, que fica mais espesso na ausência do calor. Segundo o médico veterinário da Vetoquinol, essa situação causa a limitação dos movimentos. Em consequência, o esforço para atividades cotidianas do pet é afetado e agravado pela intensidade das dores.

“As dores articulares e musculares, em consequência do aumento da contração, podem ser consideradas graves, porque os cães geralmente sofrem em silêncio. Por isso, é importante que o tutor fique atento a determinados sinais, como dificuldade para andar ou andar mancando, subir e descer escadas, falta de vontade de passear e brincar, mudança de comportamento e aumento de peso. Identificados esses sinais, deve-se procurar um especialista”, diz Jaime Dias.

A osteoartrose é uma enfermidade crônica que pode acometer cães de todas as raças, porém é mais frequente nos animais mais velhos, que devem ser foco de atenção. O cuidado também deve ser redobrado em cães com lesões traumáticas ou que passaram por procedimentos cirúrgicos, pois essas situações podem representar um grande desconforto e precisar de suporte terapêutico com o uso de anti-inflamatórios.

Procurar o médico-veterinário e iniciar tratamento rápido são as melhores formas de evitar o sofrimento dos cães. Afinal, reduzindo a inflamação – e a dor –, a estabilização da enfermidade ocorre de forma menos dramática, mantendo o bem-estar e a qualidade de vida dos animais, de acordo com o especialista da francesa Vetoquinol, que é uma das 10 maiores indústrias de saúde animal do mundo.

A empresa desenvolveu no exterior e trouxe ao Brasil uma iniciativa exclusiva para abordar os problemas articulares em cães. Trata-se do Vetoquinol Mobility Program (VMP), Programa de Mobilidade da Vetoquinol, que conta com o site www.vetoquinol.com.br/vmp. A plataforma é destinada à abordagem da osteoartrose, suas implicações e terapêutica, com a união de todos os elos da cadeia: médicos-veterinários, pacientes e tutores.

“No VMP, destacamos também nossas soluções inovadoras e eficazes para o tratamento de cães com osteoartrose. Uma delas é Cimalgex, anti-inflamatório à base do princípio ativo cimicoxib. Oferecido na forma de comprimidos altamente palatáveis, ele ajuda a tratar inflamações e dores associadas não só à osteoartrose, mas também as ocasionadas por processos cirúrgicos em tecidos moles ou ósseos”, explica o gerente técnico de animais de companhia.

Outro eficaz anti-inflamatório é o Vetaflan, composto por meloxicam, é seguro, eficaz, inovador e o primeiro anti-inflamatório de administração transdermal do mundo, sendo administrado diretamente na pele da nuca dos cães, facilitando o controle da dores e inflamações causadas por osteoartroses, traumas, pancadas e processos cirúrgicos.

“Além dos anti-inflamatórios, a suplementação nutricional é essencial para os cães acometidos pela osteoartrose. Para essa finalidade, dispomos de Flexadin Advanced, que tem fórmula exclusiva com colágeno de frango não desnaturado tipo II (UC-II), vitamina E e Ômega 3, que contribuem para a saúde das articulações, promovendo mais mobilidade e flexibilidade e, consequentemente, contribuindo com a qualidade de vida dos nossos amados companheiros”, finaliza Jaime Dias.