Chimbinha pode ser enquadrado na Lei Maria da Penha, diz polícia

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Chimbinha pode ser enquadrado pela Lei Maria da Penha caso a polícia aceite a denúncia feita por Joelma nesta quarta-feira, 9. Segundo informações da assessoria de imprensa da Polícia Civil do Pará, o caso, que foi registrado na delegacia do bairro Jaderlândia, em Ananindeua, foi transferida para a Divisão Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) já que a cantora alega estar sofrendo assédio constante do ex, que não se conforma com a separação dos dois.

“A Polícia Civil tem a esclarecer, a respeito da denúncia formalizada pela cantora Joelma Mendes, na data de ontem, que o procedimento policial instaurado na Delegacia da Jaderlândia foi transferido para a Divisão Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM), unidade policial de referência nacional na investigação de crimes relacionados à violência contra a mulher. A transferência do inquérito se deve em decorrência da natureza do crime denunciado, que está previsto na Lei Maria da Penha, e ainda pela repercussão do fato”, diz comunicado enviado ao EGO na tarde desta quinta, 10.

Joelma da Banda Calypso (Foto: Celso Rodrigues)

Ainda segundo o órgão, o vazamento do boletim de ocorrência registrado pela cantora para a internet realmente está sendo investigado pela Corregedoria Geral do estado, como revelado por Rosalinda Arraes, delegada titular que estava cuidando da denúncia anteriormente.

“Ao mesmo tempo, a instituição policial esclarece que, por meio de sua Corregedoria-Geral, instaurou procedimento policial para apurar o vazamento ao público de informações contidas no boletim de ocorrência registrado pela cantora na Delegacia da Jaderlândia. A Polícia Civil ressalta ainda que todas as informações referentes à apuração da denúncia serão tratadas em absoluto sigilo, conforme previsto na legislação penal brasileira”, afirma a assessoria.

Entenda o caso
Joelma deu o que falar nesta quarta-feira, 9, ao ser flagrada registrando um boletim de ocorrência na delegacia do bairro do Jaderlândia, em Ananindeua, no Pará. E, apesar do motivo da denúncia não ter sido divulgado oficialmente, o conteúdo do documento acabou vazando e foi parar na internet, revelando que ela procurou a polícia para reclamar do insistente assédio do ex-marido, Chimbinha.

Os dois vivem uma série crise, que tem refletido em sua banda, a Calypso, desde que uma traição do guitarrista veio a público. Procurada pelo EGO, nesta quinta-feira, 10, para esclarecer a ida de Joelma à delegacia, Rosalinda Arraes, delegada titular do local, que está cuidando do caso, não quis dar detalhes sobre a investigação, mas confirmou que o B.O que vem circulando é verdadeiro.

“Não posso falar nada sobre o caso. Ela pediu privacidade e tem esse direito. Aqui ela não é a Joelma, é uma usuária como outra qualquer. Infelizmente, alguma coisa acabou vazando. Mas o caso está sendo apurado pela corregedoria da Polícia Civil. A delegacia está sendo investigada para saber quem entrou no sistema e passou as informações para a imprensa. Eu mesma fiz a denúncia porque meu trabalho é sério e eu não admito que isso aconteça com o meu trabalho. Como diz o ditado, não puxo sardinha para um lado nem para o outro”, afirma a delegada.

A ocorrência registrada por Joelma diz que ela teme por sua integridade física, já que Chimbinha teria um histórico violento e, inclusive, teria agredido fisicamente um bailarino da banda. A cantora reclama que o ex não se conforma com sua decisão de se separar e tem a ameaçado psicologicamente, ligando constantemente para ela e pessoas próximas.

Questionada se há previsão para o fim das investigações, Rosalinda falou: “O caso está praticamente encerrado. Já ouvimos ela e a testemunha. Só falta ele prestar depoimento e ser ouvido e isso deve acontecer em breve”.

Chimbinha abriu processo para apurar ligações que vem recebendo
Na noite desta quarta, 9, Mauro Neto, gerenciador de crises contratado por Chimbinha e que tem respondido por ele desde seu afastamento tempórário da banda, disse Joelma teria ido à polícia para acusar o ex-marido de estelionato: “Ela foi com Cintia da Conceição Aviz, que ela chama de empregada doméstica, mas na verdade é sua assessora pessoal há 12 anos, dizer que Chimbinha teria falsificado uma identidade no nome de Cintia e comprado dois chips de celular”.

Mauro também revelou que, há 20 dias, o guitarrista teria aberto um processo – que estaria em fase de investigação – na Divisão de Investigação e Operações Especiais (DIOE) de Belém, por conta de ligações e mensagens constrangedoras que estaria recebendo em seu celular. O número que seria responsável por tais mensagens estaria no nome de Cintia, que teria até já dado seu depoimento no caso. Mauro diz que Joelma acusa Chimbinha de ter forjado os documentos para a compra deste aparelho, no intuito de incriminar Cintia. Mas ele rebate a acusação. “Por que a Joelma não foi procurar a DIOE para fazer essa acusação? Por que no dia que em que depôs, a Cintia não contou essa versão da história? Como já existe um processo anterior sobre esses chips, queremos que essa novo inquérito seja anexado no processo”, questiona.

Fonte: EGO

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes