Chegou a hora: mais de 100 mil eleitores vão às urnas para definir o futuro de Botucatu, Pardinho e Itatinga

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Neste domingo, 15 de novembro, mais de 100 mil botucatuenses irão às urnas para escolher seus representantes na Prefeitura e Câmara Mu­nicipal.

As eleições de 2020, no entanto, serão di­ferentes, em vista da pandemia de covid-19, primeiro com a mudança de data (originalmente o pleito ocorreria em 4 de outubro) e, depois, com as campanhas e a vota­ção em si.

São quatro postulan­tes à Prefeitura Muni­cipal: Izaias (PSL), ve­reador e ex-presidente da Câmara, e sua vice, Tenente Coronel Kátia, disputam com o atual prefeito Mário Pardini (PSDB), e seu vice André Peres, com o ex-prefei­to Mário Ielo (PDT), que está em sua sétima elei­ção, e sua vice Tânia Ma­drid, e com a candidata pelo PT, Priscila Firmino, estreante em eleições, e seu vice, o ex-vereador Claudião.

Após algumas contes­tações, indeferimentos por parte da Justiça Eleitoral, como o caso da não permissão dada aos candidatos do Partido da Causa Operária (PCO), e até troca de vice (no caso dos petistas), os quatro postulantes terão seus nomes constados nas ur­nas neste domingo.

Para estas eleições, 101.500 botucatuenses estão aptos a irem às ur­nas, aumento de 3,43% em comparação com o úl­timo pleito, em 2016, que teve 98.130 eleitores.

Na ocasião, 78,15% desse contingente parti­cipou das escolhas a pre­feito, totalizando 67.088 votos válidos, além de 3.245 votos em bran­co (4,23%), 6.357 nulos (8,29%).

Já para vereador fo­ram 65.859 votos váli­dos, com 4.857 votos em branco (6,33%) e 5.974 nulos (7,79%).

Quanto ao Legislativo, 150 candidatos disputa­rão uma das onze vagas para compor a Câmara Municipal. Dois postulan­tes renunciaram à cam­panha e outros quatro foram indeferidos.

Devido às mudanças nas regras eleitorais, não há mais coligação entre partidos.

A ordem na cédula que estarão nas 328 urnas a serem usadas em Bo­tucatu constará como o primeiro voto a vereador, onde a pessoa poderá di­gitar o número do candi­dato, o partido (voto em legenda), além das op­ções de anular ou votar em branco. Na sequência aparece a opção de esco­lha para prefeito. Em caso de votos em branco ou nulo, o mesmo não será contabilizado para aque­le que for o mais votado, como tem sido divulgado em fake news ou posta­gens em redes sociais. Tal voto é invalidado.

Na 26ª Zona Eleitoral que, além da sede Botu­catu, também contempla os municípios de Itatinga e Pardinho, foram con­vocados mais de 1300 mesários para trabalhar no dia da votação. Além disso, o Cartório Eleito­ral disponibilizará o apoio logístico de mais 200 pes­soas que auxiliarão na orientação de eleitores, fiscalização, bem como outros serviços.

Uma novidade para este ano é que cada seção contará com uma cadei­ra de rodas para auxiliar na acessibilidade e intér­pretes de libras nos locais com maior incidência de pessoas com deficiên­cia auditiva. As urnas já contam com dispositivos como teclas em braile e auxílio sonoro.

Devido à pandemia, a Justiça Eleitoral esten­deu em uma hora o horá­rio de votação, sendo das 7h às 17 horas. No en­tanto, das 7h às 10 horas serão atendidas pessoas do chamado grupo de risco (idosos, gestantes e portadores de doenças crônicas). Cada eleitor deverá obrigatoriamente usar máscara, levar sua própria caneta e apre­sentar o documento de identificação com foto à distância para os mesá­rios. Há a opção da versão digital do título de eleitor.

A apuração ocorrerá a partir das 17 horas, sendo que os eleitores podem acompanhar por meio de aplicativos desenvolvi­dos pela Justiça Eleitoral “Resultados” e “Boletim na Mão”, disponíveis para smartphones Android e iOS. A expectativa é que o resultado seja conheci­do em, no máximo, duas horas.

Região

A 26ª Zona Eleitoral concentra, além de Botu­catu, as cidades de Par­dinho e Itatinga. Serão 13.597 eleitores aptos a votar em Itatinga, com a disponibilização de 46 urnas.

O cargo de prefeito é disputado por três pos­tulantes: João Bosco Borges (DEM), que tenta a reeleição; Diego Ba­tista (PSDB) e Fernando Barbosa (PRTB). As onze vagas disponíveis na Câ­mara itatinguense serão objetivos de 96 candida­tos.

Em Pardinho, 5.491 eleitores aptos a votar em 18 urnas. Cristiano Camargo (PSDB) e Jose Luiz Virgíneo dos Santos (Cidadania) disputam a Prefeitura pardinhense. Já para a Câmara Muni­cipal, 48 postulantes con­correm a nove cadeiras.

Voto no cárcere

A Fundação Casa de Botucatu não receberá local de votação por ter 19 pessoas, sendo que o mínimo para que ocor­resse a instalação de uma urna seria de 20 votantes. Já no Centro de Deten­ção Provisória de Itatinga (CDP), o Cartório Elei­toral havia cadastrado inicialmente 150 pessoas aptas a votar. No entanto, presos com condenações em definitivo têm os di­reitos políticos cassados enquanto do cumprimen­to de pena.

Alguns, foram transfe­ridos para outros CDPs ou mesmo postos em li­berdade. Com isso, 57 presos em Itatinga farão as escolhas de candidatos a prefeito e vereador.

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes