Chefe da Haas prega cautela, mas crê que time brigará por pontos em 2022 na F1

Quando a Haas estreou na F1 em 2016, o time foi visto com grande potencial de crescimento pelos resultados obtidos em sua primeira temporada. Dois anos depois, a escuderia americana encerrou o campeonato em um encorajador quinto lugar. Mas a evolução acabou aí, e o que se viu desde então foi uma trajetória descendente, com o time falhando em marcar pontos desde o GP da Áustria de 2020.

Com a equipe focada no carro de 2022, que será completamente diferente, no ano de 2021 não tem sido fácil, já que nem Mick Schumacher e nem Nikita Mazepin chegaram perto de marcar um ponto sequer. Mas Steiner acredita que isso será compensando no ano que vem, quando projeta o retorno do time ao meio de pelotão e na briga por pontos.

– O desenvolvimento do carro de 2022 está indo bem, estamos progredindo a cada sessão no túnel de vento.. É um pouco como 2015 ou 2016 para mim, mas para dizer o quanto somos bons, não tenho ideia, porque não sei o quão bons são os outros nove times. Mas como uma equipe, trabalhamos agora de novo como fizemos em no passado a equipe técnica na Itália, e estou cautelosamente otimista de que estaremos no pelotão do meio novamente no próximo ano – diz Steiner.

Haas simula pintura atual no carro de 2022 da F1 — Foto: Haas F1 Team
Haas simula pintura atual no carro de 2022 da F1 (Foto: Haas F1 Team)

A equipe contratou Simone Resta, ex-Ferrari, para o cargo de diretor técnico, além de ter instalado uma pequena sede em Maranello, já que o time usa diversas peças fornecidas pela Scuderia. Por isso, Steiner crê que o time possa voltar a ter performances como as de 2018.

– Você sempre pode fazer melhor, mas acho que os outros aspectos da equipe estão em boa forma, eu diria . A equipe de corrida está em boa forma e não haverá grandes mudanças por lá. Acho que estaremos prontos. Ainda há muita gente de 2018 quando terminamos em quinto lugar no campeonato, então essas pessoas ainda são boas e não se esqueceram de como fazer o trabalho. Eu confio nessas pessoas e estou confiante de que eles podem conseguir isso novamente, que nós (teremos) bons resultados – talvez não em quinto, mas pelo menos estar de volta ao ao pelotão do meio diz.

A Haas estreou em 2016 de forma encorajadora, com Romain Grosjean partindo em 19º e terminando em 6º no GP da Austrália daquele ano. Na corrida seguinte, no Barein, nova surpresa com um quinto lugar do francês. Contudo, o melhor resultado viria em 2018, com um quarto lugar de Grosjean na Áustria. Contudo, a equipe não conseguiu repetir o feito nas temporadas seguintes e segue zerada em 2021.

Fonte: G1

Scroll Up