Caso Vitória: Polícia diz que garota foi morta no mesmo dia que desapareceu

A menina Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, foi assassinada no mesmo dia em que desapareceu em Araçariguama (SP). A informação foi passada pela Polícia Civil nesta terça-feira (26).

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) indica que ela morreu por asfixia mecânica com constrição cervical. A principal suspeita seria dela ter recebido o golpe conhecido como “mata-leão”. No atestado de óbito da garota consta que a causa da morte é indeterminada.

Vitória Gabrielly foi encontrada morta no dia 16 de junho em uma mata às margens de uma estrada de terra no bairro Caxambu, em Araçariguama. A menina estava desaparecida havia 8 dias, quando saiu para andar de patins.

O corpo foi amarrado a uma árvore e os pés e as mãos estavam atados, segundo a polícia. Os patins foram encontrados perto da menina.

Como foram oito dias entre o desaparecimento e o corpo encontrado, a polícia tentava desvendar o dia que ela foi morta. Ainda conforme a polícia, a principal linha de investigação é a de que ela foi vítima de vingança e levada por engano.

O delegado seccional de Sorocaba, Marcelo Carriel, falou à imprensa na sexta-feira (22) que a forma como o corpo da garota estava indica violência para caracterizar o crime como vingança.

“A hipótese, não de autoria, mas de circunstância e motivação, da forma como o corpo foi encontrado, pelo local, pelas amarras, pela forma que ela estava amarrada, a linha principal seria de execução por vingança.”

Carriel disse que outra hipótese é que Vitória foi morta por engano, pois todo o histórico da família da garota não aponta que eles sofreriam algum tipo de represália.

“Se foi por engano, se vingar essa versão, quem seria o alvo correto?”, questiona o delegado, explicando que essa é uma das respostas que buscam.

A mãe da vítima, Rosana Maciel Guimarães, também acredita nesta versão, de engano.

“Minha filha estava no lugar errado e na hora errada. Agora, se é para se vingar de alguém eu não sei, mas essa pessoa [criminoso] estava com maldade e infelizmente minha filha estava lá naquele momento [que foi pega] e, para mim, no momento errado”, conta.

O pai Luis Alberto Vaz disse que alguém conhecido deve ter levado a filha. Ele e a mãe, que são separados, foram ouvidos várias vezes na delegacia. Os celulares deles e de outros suspeitos foram apreendidospara passar por perícia.

A polícia diz que a perícia dos celulares vai ser decisiva no esclarecimento do caso. A investigação também deve fazer perícia e mais um carro escuro.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) está oferecendo recompensa de até R$ 50 mil para quem der pistas sobre o crime. A polícia disse que desde que começou a investigação, nenhuma denúncia foi feita.

As denúncias podem ser feitas pelo telefone 181 ou pelo site do Web Denúncia.

Pai e mãe da menina prestaram vários depoimentos à polícia (Foto: Reprodução/TV TEM)

Levada por carro

Um servente de pedreiro está preso temporariamente suspeito de envolvimento no caso. O homem chegou a dar seis versões diferentesà polícia.

Em uma delas, o suspeito disse que estava com Vitória Gabrielly no dia em que ela desapareceu dentro de um carro com um casal.

O casal apontado pelo homem foi ouvido várias vezes, mas liberado. Dois carros já foram periciados para saber se a garota estava no veículo, um deles é do casal.

Tanto o casal como o servente de pedreiro passaram pelo IML para colher material genético, que vai ser comparado com amostras colhidas nas roupas, em cordas usadas para amarrar a menina e nos patins dela.

Mais de 70 pessoas já foram ouvidas durante a investigação. A polícia apreendeu imagens de câmeras de segurança que ficam entre o ginásio de esportes da cidade, local onde ela foi vista pela última vez, e o local onde o corpo foi encontrado. Ao todo são mais de 300 horas de vídeo.

Fonte: G1