Casal é preso acusado de torturar criança de 7 anos até a morte

Um casal foi preso na manhã de quarta-feira, dia 4 de agosto, no Bairro Vila Esperança, em Avaré, no interior de SP. A mãe e o padrasto são suspeitos de torturar até a morte uma criança de apenas 7 anos. A ocorrência está em andamento.

Segundo informações obtidas com exclusividade pelo portal A Voz do Vale, uma equipe da Polícia Militar estava patrulhando pelo bairro Paraíso, quando foram informados, por uma munícipe, que uma criança estava caída passando mal.

De imediato, o Sargento Telmo e o Cabo Batista foram até o local e encontraram o menino com o padrasto. No momento, o homem disse que a criança estava engasgada. Os PMs estranharam a informação e acionaram o Samu, porém a criança acabou falecendo no Pronto Socorro Municipal.

Perícia da Polícia Civil, policiais militares e conselheiros tutelares estiveram na casa onde vivia a criança na Vila Esperança

Durante exames no menino, foram verificados diversos hematomas pelo corpo, inclusive no pênis e no anus, com sinais de tortura.

Um outro menino, de 10 anos, irmão da vítima, também foi internado no Pronto Socorro de Avaré, com vários hematomas pelo corpo. Uma equipe do Conselho Tutelar está no local resguardando a integridade da criança.

O menino teria informado que o padrasto teria torturado eles, inclusive dando-lhes choques elétricos.

A morte da criança e os fatos narrados pelo irmão comoveu a todos, inclusive os policiais militares, conselheiros tutelares, e equipe do Pronto Socorro e da Polícia Civil.

Informações dão conta ainda que os pais são separados e as crianças estavam morando em Pardinho com o pai, mas devido a um acordo, eles se revezavam em cuidar as crianças a cada 15 dias.

No momento em que estavam com a mãe, as torturas teriam ocorrido. Em depoimento na delegacia, a mãe teria informado que são sabia das agressões e disse que o filho teria caído de uma escada.

O pai da criança compareceu ao Plantão Policial e caiu em desespero quando ficou sabendo do ocorrido. As pessoas presentes se emocionaram com a cena.

O perícia da Polícia Civil e a Polícia Militar estiveram na casa do casal, juntamente com conselheiros tutelares.

A mãe e o padrasto, que não tiveram os nomes divulgados até o momento, serão ouvidos agora à tarde pelos delegados Dr. Levon e Dr. João Luiz.

Leia Notícias com a Voz Do Vale

Scroll Up