19 de junho, 2024

Últimas:

Caixões de animais lacrados do Egito Antigo são achados com objetos dentro; veja

Anúncios

O conteúdo de seis misteriosos caixões selados de animais egípcios datados em até 2,6 mil anos foi revelado em um novo estudo, publicado na revista Scientific Reports nesta quinta-feira (20).

Caixão de animal EA36151, decorado com criatura com cabeça humana, parte enguia e parte cobra, usando uma coroa dupla, associada ao antigo deus egípcio Atum
Caixão de animal EA36151, decorado com criatura com cabeça humana, parte enguia e parte cobra, usando uma coroa dupla, associada ao antigo deus egípcio (Foto: Atum The Trustees of the British Museum)

A mumificação de animais era uma prática difundida no Egito Antigo, e pesquisas anteriores sugerem que alguns seres mumificados eram considerados encarnações físicas de divindades, enquanto outros seriam oferendas ou usados em rituais.

Anúncios

No novo estudo, uma equipe liderada pelo cientista especialista em raio-X Daniel O’Flynn, do Museu Britânico, usou uma técnica chamada tomografia de nêutrons para avaliar os caixões selados. Esse método permite criar imagens de objetos com base na extensão em que os nêutrons emitidos por uma fonte podem passar por eles.

Segundo comunicado do grupo Nature, todos os seis caixões são feitos de compostos de cobre e a maioria não está mais lacrada, de fato.

Anúncios

Por dentro (e fora) dos caixões

Três dos caixões, cobertos com figuras de lagartos e enguias, bem como laços, foram datados entre 500 e 300 a.C. e foram descobertos na antiga cidade de Naukratis. Um quarto caixão, que traz uma figura de lagarto, foi datado entre 664 e 332 a.C. e encontrado na região de Tell el-Yehudiyeh.

Os outros dois caixões, cobertos com figuras de enguias e cobras com cabeças humanas, datam entre aproximadamente 650 e 250 a.C. e são de origem desconhecida.

Os autores identificaram ossos em três dos caixões, incluindo um crânio intacto com dimensões semelhantes às de um grupo de lagartixa-dos-muros cujas espécies são endêmicas do norte da África.

Caixão de animal EA27584, com duas figuras de lagartos (vista superior e lateral). A imagem de nêutrons mostra invólucros têxteis e um osso de 8 mm de comprimento (seta) (Foto: The Trustees of the British Museum e O’Flynn et al)

Eles também se depararam com fragmentos têxteis dentro de três caixões que possivelmente eram feitos de linho, muito usado na mumificação do Egito Antigo. O tecido pode ter sido enrolado em torno dos animais antes de os cadáveres serem colocados nos caixões.

Os pesquisadores encontraram ainda chumbo dentro dos três caixões sem laços. A hipótese é de que o metal teria sido usado para ajudar na distribuição de peso em dois dos caixões e para consertar um buraco encontrado no outro.

Fonte: Galileu

Talvez te interesse

Últimas

Em sua 4ª edição, a Tattoo Week Online acontece nos dias 19, 20 e 21 de julho, das 11h00 às...

Categorias