Programa que qualificará mão de obra para aeroportos regionais abre inscrições

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Preocupado em garantir mão de obra especializada para os 270 aeroportos que serão beneficiados pelo Programa de Aviação Regional e, ao mesmo tempo, em dar condições para que estudantes de alguns cursos do ProUni avancem em sua formação profissional, o governo federal abre hoje (14) inscrições para o Programa Bolsa Piloto. Ele possibilitará, a 65 candidatos selecionados o custeio total dos gastos com aulas práticas de voo para obtenção de licença. As inscrições vão até o dia 25 deste mês,
As bolsas serão destinadas à obtenção de dois tipos de licença: 50 na categoria avião com habilitação de classe monomotor terrestre (piloto privado) e 15 na categoria avião com habilitação de classe multimotor terrestre e habilitação de voo por instrumentos (piloto comercial).
De acordo com o diretor do Departamento de Gestão e Planejamento de Navegação Aérea Civil da Secretaria de Aviação Civil, Rafael Botelho, o Bolsa Piloto é uma continuidade das políticas públicas do governo federal. “Precisamos de mão de obra qualificada para os aeroportos regionais que serão construídos ou reformados pelo programa”. Botelho disse que, apesar de o Programa Universidade para Todos (ProUni) permitir, em alguns cursos, a formação teórica dos estudantes, eles têm tido dificuldade para entrar no mercado, por causa dos altos valores cobrados nos cursos práticos de voo.

Segundo o diretor da SAC, um curso prático para piloto privado custa entre R$ 12 mil e R$ 14 mil e o de piloto comercial, cerca de R$ 60 mil. “Há uma maleabilidade de preços em função da região onde o curso é oferecido. Ao custearmos esses cursos, ajudamos as pessoas menos favorecidas a realizar sonho de ser piloto”, explica ele. “Foram apenas 65 vagas devido à limitação de recursos, mas nossa expectativa é que essas bolsas sejam oferecidas pelo menos uma vez por ano.”

O Bolsa Piloto tem como público-alvo estudantes brasileiros que estejam cursando ou sejam egressos de cursos superiores relacionados à aviação civil, como ciências aeronáuticas, tecnológico em pilotagem profissional ou pilotagem profissional de aeronaves, engenharia aeronáutica e manutenção de aeronaves, entre outros. As inscrições podem ser feitas no site da SAC. Para se inscrever, o candidato precisa atender a alguns pré-requisitos: ter no mínimo 18 anos; ser ou ter sido beneficiário ProUni em cursos de graduação com projeto pedagógico aprovado pelo Ministério da Educação, contendo matérias relacionadas à formação de pilotos de avião; além de ter nota do Enem em exame realizado a partir de 2010.

A SAC tem disponibilizado outros cursos, também com o objetivo de preparar mão de obra para o Programa de Aviação Regional. Entre eles os de bombeiro de aeródromo, fiscal de pátio e de gestor e operador aeroportuário. “Entre 2013 e 2014, 1.340 pessoas foram treinadas nesses cursos. A diferença é que eles são voltados a habilitar servidores públicos em geral, desde que indicados pelos aeródromos. Na maioria das vezes, foram indicados funcionários das prefeituras em municípios cujos aeroportos serão beneficiados pelo programa”, explicou Rafaek Botelho.

O credenciamento de aeroclubes e escolas de aviação é feito levando em consideração a infraestrutura oferecida e a adequação aos valores definidos pelo governo federal. Para participar do programa, as escolas precisam se inscrever no site da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Iniciado em 2011, o Programa de Aviação Regional prevê, na primeira fase, reforma e ampliação de 270 aeroportos regionais em todo o país, com investimentos federais de R$ 7,4 bilhões. Com o programa, o governo buscará a integração do território nacional, fazendo com que 96% das pessoas estejam a menos de 100 quilômetros de um aeroporto.

Fonte: Agência Brasil

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes