Governo de SP prevê volta às aulas com apenas 20% dos alunos presentes nas escolas

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

O governo do estado de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (5) que prevê a volta às aulas de forma gradativa e com apenas 20% dos alunos presencialmente nas escolas. No entanto, ainda não há uma data definida para o retorno das atividades. O ensino presencial foi suspenso desde o dia 23 de março para evitar a propagação do coronavírus.

“A ideia é que nós vamos voltar em fases, fases combinadas com as fases do Plano São Paulo. A ideia é que a gente volte com 20% dos alunos, no primeiro momento. No segundo momento, 50% dos alunos, e na fase final com 100% dos alunos”, disse o secretário-executivo de educação, Haroldo Rocha.

“Quero desde já dizer que não tem decisão ainda sobre a data da volta, porque como é orientação do governo, isso depende da evolução da pandemia e da orientação cientifica da área da saúde”, afirmou o secretário.

Ainda, segundo Rocha, mesmo após o retorno de todos os alunos, o ensino vai ocorrer de maneira híbrida, onde os alunos ficarão nas escolas uma parte do período letivo e posteriormente vão acompanhar aulas remotamente.

“Na retomada das aulas nós vamos trabalhar com o ensino híbrido, ou seja, as crianças vão ter um tempo presencial na escola e vão ter também a oportunidade de ampliar, vão ter o apoio do sistema chamado Centro de Mídias nas suas casas para poder avançar no conhecimento”, disse.

Ele ressaltou que o retorno às aulas deve ser pensado com cautela devido ao grande número de estudantes no estado.

“Nós já sabemos que vai ser em fases e nós temos um diálogo aqui pela frente muito especial com a área de transporte, porque o estado de São Paulo tem 13 milhões de estudantes, de todas as redes, é praticamente 1/3 da população, então qualquer retorno às aulas impacta também o sistema de transportes, aglomerações, etc”, disse.

Com a pandemia do coronavírus, as aulas das escolas estaduais passaram a ser transmitidas por meio do aplicativo Centro de Mídias SP (CMSP) e dos canais digitais 2.2 – TV Univesp e 2.3 – TV Educação. No entanto, muitos pais reclamaram da dificuldade para acessar as plataformas digitais, já que sem acesso à internet, celular, TV e computador, muitos alunos não têm acompanhado as aulas.

Haroldo Rocha disse que as tecnologias que transmitem o conteúdo para os alunos vêm sendo aprimoradas e que o Centro de Mídias deve permanecer no ensino estadual mesmo após a pandemia.

“Além dos professores, do treinamento, nós fizemos vários aprimoramentos tecnológicos pra facilitar o acesso, pra facilitar o uso, para haver mais interação, então, tem uma evolução extraordinária aí, e nós estamos muito convencidos de que a gente vai ter uma ferramenta muito importante, inclusive depois dessa fase remota quando as aulas voltarem a ser presenciais”, disse.

Para o retorno dos alunos, as escolas serão adaptadas e as regras de higiene serão reforçadas.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes