Ex-jogador de futebol é morto e PM preso diz que não viu a vítima

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Um homem, que estava a caminho do trabalho, morreu após ter sido baleado durante uma perseguição policial em Santo André, no ABC. José Erlandio Freires Alves, de 36 anos, que era conhecido como Toni, é ex-jogador de futebol. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, tiros disparados por um PM contra um suspeito atingiram Alves.

Os parentes contaram que Toni saiu de casa no bairro de Utinga, em Santo André, às 5h30 desta quarta-feira (13). Na mesma região, policiais militares perseguiam dois suspeitos de roubo em uma moto. Houve tiroteio e um dos suspeitos morreu.

José Erlandio também foi baleado e não resistiu aos ferimentos. A vítima deixou mulher e quatro filhos e foi enterrado nesta quinta-feira (14), no Cemitério Camilópolis, em Santo André.

A família da vítima ficou inconformada. “Meu filho era uma joia. Eu perdi uma joia”, disse Nelly Freire da Silva, mãe do ex-jogador. Toni jogou profissionalmente entre 2000 e 2005 em um time do Mato Grosso, o Operário. E jogava em times de várzea.

A Secretaria da Segurança Pública disse que o PM Eduardo Pontes de Lima foi preso em flagrante e levado ao presídio Romão Gomes.

De acordo com a secretaria, o PM alega que não viu a vítima no momento em que atirava contra um assaltante. O caso será investigado.

Nota da Secretaria de Segurança Pública

“O PM Eduardo Pontes de Lima efetuou disparos contra o assaltante Victor Hugo de Carvalho Silva Dias que atingiram o morador José Erlanio Freires Alves. O Setor de Homicídios de Santo André analisou as imagens de câmeras de segurança do entorno, que mostram que o morador estava seguindo pela mesma calçada em que um dos criminosos foge, no sentido contrário. O PM alega que não viu a vítima no momento que efetuava os disparos. Para apurar melhor os fatos, o PM foi preso em flagrante e levado ao presídio Romão Gomes. Com relação à morte dos assaltantes, o delegado entendeu, num primeiro momento, que os policiais agiram em legítima defesa. O caso será investigado.”

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes