Estudante da Unesp de Botucatu desenvolve cerveja de jabuticaba

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Nas prateleiras dos mercados e nas feiras é possível encontrar muitos produtos a base de jabuticaba, tem doce, geleias e até licor de jabuticaba. Mas, um estudante da pós-graduação da Unesp de Botucatu  desenvolveu mais um novo produto a base da fruta, tipicamente brasileira.

Além da jabuticaba, a receita leva água, lúpulo e cevada  (Foto: Reprodução / TV TEM)
Além da jabuticaba, a receita leva água, lúpulo e malte (Foto: Reprodução / TV TEM)

“Essa era a nossa ideia principal e inicial, porque o mundo inteiro conhece as fruit beer (cerveja de frutas) e consome esse produto e a cerveja em si já é uma bebida mundial, mas cada país agrega o seu diferencial, o sabor das frutas nativas e nossa ideia primordial era essa, agregar essa característica brasileira a uma bebida consumida mundialmente”, explica o engenheiro Vitor Maçami Imaizumi.

A cerveja de jabuticaba leva na sua composição água, malte, lúpulo e uma boa quantidade da fruta, que pode ser colhida em duas épocas, nos meses de janeiro e fevereiro e também entre agosto e setembro.

O projeto é desenvolvido no laboratório de bebidas da Unesp e na entrada  já dá para se ter uma ideia do que é desenvolvido no local. Uma placa traz os dizeres em alemão Biegarten, que significa Jardim da Cerveja em português. E quem comanda a microcervejaria da universidade é o professor Valdemar Venturin. Ele explica como tudo funciona no laboratório.

“A cervejaria é divida em duas partes. A parte quente que chamamos de cozinha ou brassagem, é onde o malte moído é misturado com água em uma espécie de tanque que recebe o nome de tina de morturia. Ele vai passar por um processo térmico, com uma variação de temperatura e a serventia disso é que o amido do malte é transformado em açúcares pelas enzimas do álcool. É daí que saí uma espécie de caldo açucarado que vai ser fermentado, que é a segunda parte.”
Doutorando da Unesp desenvolveu a bebida  (Foto: Reprodução / TV TEM)
Doutorando da Unesp desenvolveu a bebida (Foto: Reprodução / TV TEM)

O professor falou da inovação da jabuticaba adicionada ao processo. “A questão da jabuticaba entra no conceito de fruit beer, que consiste em adicionar a fruta a cerveja e acontece no mundo todo, mas a jabuticaba é uma fruta brasileira, presente em todo o território nacional, é exótica, tem muito polifenóis, que é de onde vem a cor semelhante à uva e que são benéficos à saúde”, completa.

Conhecedor e apreciador da bebida, o biólogo Ricardo Figueira aceitou o desafio da equipe de reportagem da TV TEM e participou do teste de qualidade da cerveja. “É uma cerveja muito boa, tem o sabor e o aroma da jabuticaba e a mistura é bem tropical. É uma bebida refrescante”, aprova.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes