Cápsula do tempo é enterrada e marca o centenário da Praça Rubião Júnior, em Botucatu

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Na noite fria da última terça-feira (24), a Praça Rubião Júnior, localizada bem no Centro Histórico da Cidade, completou cem anos de história e para marcar a importante data a Prefeitura de Botucatu promoveu uma grande festa aberta ao público.

Participaram do evento o prefeito João Cury Neto; vice-prefeito, Antonio Luiz Caldas Júnior; secretário de Obras, André Peres; secretário de Esportes, Lazer e Turismo, Antonio Carlos Pereira; presidente da Câmara Municipal de Botucatu, André Rogério Barbosa (Curumim) e o historiador, João Carlos Figueiroa. Também estiveram estudantes das escolas EECA [Escola Estadual Cardoso de Almeida] e EMEJA [Escola Municipal de Educação de Jovens e Adultos], imprensa local e população em geral. 

A programação das festividades teve início com a apresentação da Corporação Musical “Damião Pinheiro Machado”. O público que compareceu ao evento também teve a oportunidade de levar para casa uma foto customizada, alusiva ao centenário da praça.

Inaugurada em 24 de maio 1916, na gestão do prefeito Antonio José de Carvalho Barros, para ser um dos jardins da Catedral Metropolitana de Sant’Anna, a Praça Rubião Júnior carrega um importante componente histórico. Não apenas pela sua arquitetura, inspirada nos jardins públicos italianos, como também por simbolizar um período de intensa urbanização vivido pela cidade entre o fim do século XIX e as primeiras décadas do século XX. 

O projeto original inclui fontes romanas povoadas por tritões e ninfas, lagos, pontes e corredeiras. A exuberância paisagística em seu projeto leva a assinatura de um dos mais renomados arquitetos paisagistas do início do século XX: João Dierberger.

Em 28 de setembro de 2014, na gestão do atual prefeito João Cury Neto, a Praça Rubião Júnior foi totalmente revitalizada. “É uma alegria termos restaurado esta praça respeitando suas características originais e acrescentando um toque de modernidade na medida de em que atualizamos o piso drenante e antiderrapante, rampas de acessibilidade, piso tátil para deficientes visuais e também colocamos ponto de internet. É uma misturada de preservar o que foi feito há cem anos atrás e o que é pensando para a população atual”, enfatiza Cury, que deixou dentro da cápsula uma carta aos botucatuenses do futuro.

Leia a carta do prefeito

A grande atração da noite foi o enterramento de uma cápsula do tempo com documentos, fotos, publicações em geral e objetos da atualidade, com a proposta da mesma ser aberta daqui a 100 anos. 

“Esta praça foi inaugurada em 1916. Naquela época a Cidade vivia bons momentos, depois escorregou na produção de café e outras não deram certo. A retomada do crescimento se deu com a vinda do Núcleo de Escolas Médicas e dai para frente Botucatu criou suplementos de água encanada, esgoto tratado e passou a crescer novamente”, relembra Figueiroa.

“A administração atual olhou para o embelezamento da Cidade após suprir a entrega de casas populares, creches zerarem o número de vagas de espera, um bom leque de serviços médicos e hospitalares, pactuando com um novo momento. Há dois entregamos esta praça remodelada e agora no centenário é hora de lançarmos um olhar para o futuro. É um ato de fé do que está por vir. Isto significa a cápsula”, complementa o historiador, que durante o evento recebeu uma placa de homenagem da Prefeitura pelos serviços prestados à população botucatuense.

Fonte: Prefeitura de Botucatu

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes