Botucatu terá mais um ato pelas verbas da Educação, nesta terça (13) às 15h

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Botucatu integrará, mais uma vez, a mobilização na­cional contra os recentes cortes na educação públi­ca e contra a Reforma da Previdência, já aprovada pela Câmara dos Depu­tados e agora sob análise do Senado Federal. O ato, chamado de “Tsunami pela Educação”, é promovido pela União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG), está marcado para esta terça-feira, 13, a partir das 15 horas, na Praça Emílio Pedutti, o Bosque.

Botucatu, inclusive, é a única cidade em um raio de 100 quilômetros a in­tegrar a mobilização. Esta é a terceira manifestação do tipo este ano em Bo­tucatu contra as recentes políticas previdenciária e educacional do governo de Jair Bolsonaro (PSL). As anteriores ocorreram em 15 de maio e 14 de junho, onde centenas de estudantes, pesquisado­res, professores e repre­sentantes de sindicatos e entidades percorreram as principais ruas da Cidade. Na primeira manifestação, em 15 de maio, quase mil pessoas entre estudantes, professores, populares e até vereadores locais esti­veram presentes.

Recentemente, o go­verno federal anunciou o contingenciamento (re­tenção) de verbas de mais de R$ 1,4 bilhão, sendo aplicados a diversos mi­nistérios. Entre eles o da Educação, que teve o congelamento de repas­ses para investimentos de R$ 348,5 milhões. Antes, o próprio governo havia decidido a redução no fi­nanciamento de bolsas de pesquisas e de pós gradu­ação.

Na esfera previdenciá­ria, a recente aprovação pela Câmara Federal da Reforma da Previdência mudará o sistema de con­tribuição e aposentadoria. Pelo texto, há a fixação de idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres, além de contri­buição mínima de 20 anos para homens e 15 para mulheres. Para quem já está no mercado de traba­lho, antes das mudanças da regra, haverá regra de transição, com os chama­dos “pedágios”. A proposta seguirá para o Senado Fe­deral e o governo espera aprovação em dois meses.

Manifestações começaram na Câmara

Antes da mobilização na rua, integrantes do Comi­tê Botucatu Contra a Re­forma da Previdência usa­ram a tribuna da Câmara Municipal de Botucatu na Sessão de segunda-feira, 12, para explicar o posi­cionamento contrário às mudanças nas aposenta­dorias e pagamentos de benefícios sociais.

O estudante Thiago Al­ves, que também é mem­bro da União Municipal dos Estudantes Secun­daristas, usou a tribuna livre da Casa de Leis para manifestar a preocupação com a aprovação para as diferentes classes sociais, além do impacto econômi­co que poderá ter na po­pulação de menor renda. Também frisou alterna­tivas apresentadas pelas centrais sindicais ao texto original.

Jornal Leia Notícias por Flávio Fogueral – Foto Notícias Botucatu

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes