Botucatu: População cobra do Prefeito emprego industrial. Pardini destaca criação de novas vagas

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Nos últimos meses a Prefeitura de Botucatu vem comemorando os dados positivos do CAGED, que indica o emprego nas cidades brasileiras. Durante todo o ano passado o setor de comércio, indústria, serviços e agricultura estiveram liderando a geração de emprego na cidade, mas os empregados e desempregados querem mais empenho da Prefeitura na atração de indústrias.

Em praticamente todas as entrevistas que Mário Pardini concede para a imprensa na Cidade, ele é cobrado em relação à atração de indústrias de transformação. O Prefeito sempre alega que tem feito esforços, ampliado as áreas industriais, criando leis que facilitam a instalação de empresas do setor, mas afirma que não pode interferir nas decisões das empresas.

No contraponto ao pedido de emprego industrial, ele argumenta que em sua gestão tem atraído empresas, como a Havan, Panelão, e estimulado a ampliação de empresas, como a Centroflora, Grupo Caio, entre outras. “Só neste semestre, em Botucatu, vamos criar, com apoio da iniciativa privada, cerca de 500 novos empregos, com o início das operações da Havan e do Supermercado Panelão. Além disso, temos o novo hospital da Unimed, a ampliação das contratações por concurso público no Hospital Estadual e Sarad, com mais 400 funcionários, além das ampliações da Centroflora, que vai contratar mais de 100 empregados e, ainda, a Caio, que está ampliando sua produção de ônibus e autopeças”.

Pardini ressaltou, ainda, em entrevista à Rádio Clube e ao Jornal Leia Notícias, que o setor de tecnologia está crescendo com as ações desenvolvidas no Parque Tecnológico, que abre espaço para novas empresas que exigem um profissional diferenciado na produção.

Apesar de todos os esforços, muitos botucatuenses que não tem formação profissional, buscando o primeiro emprego na indústria, reclamam. O diagnóstico apontado pelo Executivo na falta de vagas é a baixa formação acadêmica e técnica do trabalhador. “Para esses trabalhadores, que não tem formação técnica ou ensino básico, estamos oferecendo diversos cursos na Unite e Senai, que tem prestado um excelente serviço.

Jornal Leia Notícias por Haroldo Amaral

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes