Botucatu: Polícia afirma que indivíduo de Botucatu, morto em confronto, portava um fuzil 762 e estava de colete

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Após a morte de um homem de 29 anos, na quinta-feira, 30, em Botucatu, apontado como um dos criminosos que aterrorizaram a Cidade na noite de quarta-feira, 29, e madrugada de quinta-feira, houve muita polêmica nas redes sociais.

Ele foi morto por policiais após troca de tiros, em uma área verde ao lado das rodovias Domingos Sartori e Marechal Rondon.

O fato que chamou a atenção é que o indivíduo era morador de Botucatu, da Vila Real. Amigos e familiares tomaram as redes sociais para negar seu envolvimento no crime, afirmando que ele teria sido morto por engano, que ele estava morando embaixo do viaduto.

O subcomandante do 12º Batalhão da Polícia Militar, Major Cagliari, esclarece que não houve erro ou ilegalidade na ação policial. O homem abandonou o veículo na rodovia e se escondeu no matagal. “Nesse confronto, onde o indivíduo faleceu, também resultou no ferimento de dois policiais militares. Ele estava no mato, em uma região de difícil acesso. Pela manhã, o grupamento entrou no matagal e foi recebido a tiros. Esse indivíduo estava portando um fuzil 762, que é uma arma alta condição de tiro, uma arma de guerra, que fura carro blindado. Ele estava utilizando colete a prova de bala. A ação foi legítima e resultou na morte deste indivíduo. Os policias militares foram feridos por tiros de fuzil, do mesmo calibre que este indivíduo estava portando”, afirma.

Sobre as manifestações nas redes sociais, o Major também respondeu. “Estamos preparados para qualquer tipo de comentário, seja positivo ou negativo, é o direito da pessoa se manifestar, mas por isso esclarecemos qualquer tipo de problema”, completou o subcomandante Cagliari.

O homem que foi morto já tem passagem policial, pelo crime de furto, e ficou preso.

A família

Dr. Luís Carlos Medina, advogado da família do homem que foi morto conversou com a reportagem. “A família me passou que há suas semanas ele saiu de casa e foi morar debaixo do viaduto (na Domingo Sartori, sobre a Rodovia Marechal Rondon). Os familiares alegam que ele não tem ligação com esse crime”, disse.

Ação

Até o momento, dos cerca de 40 criminoso que realizaram a ação em Botucatu, há apenas um morto. Não há informações de presos.

LEIA MAIS: Botucatu: Homem morto, apontado como um dos criminosos do ataque, era morador de Botucatu

Leia Notícias – Foto reprodução TV TEM

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes