Botucatu: Mais de 3 meses após assassinato de cabeleireira, mandante do crime continua foragido

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Mais de 3 meses se passaram desde a morte da jovem botucatuense
Ana Beatriz Lucas, de 24 anos. Bia, como era conhecida, foi assassinada na noite do dia 27 de dezembro de 2018.

O mandante do crime, Jefferson de Lima Silva, 44 anos, era dono do salão onde Ana Beatriz trabalhava e marido de Gláucia, com quem Bia, estava se relacionando.

Motivado pelo ciúmes, Jefferson contratou na noite de Natal, Jefferson chamou seu vizinho Taylon Patrick Ferreira Campos, de 24 anos, e acertou a morte de Bia pelo valor de R$ 1.500,00. Ele havia descoberto que a esposa mantinha um relacionamento amoroso com a funcionária.

Dois dias depois do acordo, entre o mandante e o executor, Bia foi morta em um assalto no Salão Unique, em Osasco. Taylon chegou ao local após o horário do expediente, cortou o cabelo com a vítima  e anunciou o falso assalto. Em seguida, pediu por um cofre que não existia e acabou atirando da boca de Bia antes de fugir.

Ao ser preso, ele confessou o crime e entregou o mandante. Jefferson que chegou a prestar condolências e apoiar a família de Bia em seu enterro, em Botucatu, fugiu após perceber que seria chamado pela terceira vez para prestar depoimento. Desde então, Jefferson está foragido e tem um pedido de prisão decretado.

Sofrimento materno

Em luto, Dalva Agapito, mãe de Bia, pede todos os dias por justiça.

Ela utiliza as redes sociais para divulgar a foto de Jefferson e seu único desejo é por justiça.

“Não é justo o que esses monstros fizeram com a Ana Beatriz. Me ajudem e vamos compartilhar para que ele seja preso”, desabafa Dalva.

Você me entende, você me ajuda, você chora escondida para ninguém ver, você sabe tudo sobre mim, mas não entende minha…

Posted by Ana Beatriz on Thursday, August 27, 2015

Leia Notícias

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes