Botucatu: Hospital das Clínicas abre sindicância para apurar condutas de envolvidos na contaminação da água para hemodiálise

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

A contaminação na água utilizada para procedi­mentos de hemodiálise no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medici­na de Botucatu (HCFMB), vinculado à Secretaria de Estado da Saúde, não foi motivada por sabota­gem. A afirmação foi do delegado Geraldo Franco Pires, da Delegacia so­bre Investigações Gerais (DIG), setor responsável pelas investigações, que credita o incidente como erro de conduta de dois funcionários da unidade de saúde.

A apresentação preli­minar do inquérito que apura a contaminação de água do setor de hemo­diálise do Hospital das Clínicas foi acompanha­da de perto pelo supe­rintendente da unidade de saúde, André Balbi, e do chefe de gabinete do HCFMB, Dr. José Carlos Souza Trindade Filho.

Segundo o superin­tendente (que também é nefrologista), o caso se­guirá internamente com as averiguações efetivas das condutas que ocasio­naram o incidente. “Agora tem uma segunda parte, com a abertura de sindi­cância com o que ocorreu de fato. Serão aplicadas penalidades previstas, mas isto somente na con­clusão e com a certeza. A prioridade é saber as cau­sas”, frisou Balbi.

Devido à contamina­ção, Balbi salientou que o hospital reforçou os protocolos de acesso de pessoal, além dos proce­dimentos que antecedem as sessões de hemodiáli­se. “Importante frisar que hoje mudamos como pas­samos a ver o acidente. O que antes se suspeitava como sabotagem, a polí­cia descartou. Agora, os trabalhos serão internos para dar mais segurança e também maior treina­mento aos funcionários, de modo a evitar que mais situações como esta ocorram novamente”, dis­se o Superintendente.

“O Hospital possui meios de segurança, tan­to que foi evitado um mal maior, mas temos que aprimorar estes meios. Existe todo um protocolo de atendimento e investi­mento que o hospital pro­moveu para que nenhum dos nossos duzentos pacientes tenham algum tipo de risco. Hoje existe um complexo que difi­culta ao máximo alguma intercorrência”, finalizou Balbi.

Sobre a Hemodiálise

O Hospital das Clínicas de Botucatu, referência regional na assistência pelo Sistema Único de Saúde (SUS), realiza dia­riamente mais de cem procedimentos de hemo­diálise, onde uma máqui­na limpa e filtra o sangue, ou seja, faz parte do tra­balho que o rim doente não pode fazer.

Jornal Leia Notícias por Flávio Fogueral

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes