Botucatu: Educação abrirá 6 novas escolas de tempo integral em 2020. A primeira iniciará em fevereiro

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

 O ano de 2020 vai dar iní­cio a uma nova realidade no ensino fundamental municipal em Botucatu, com a implantação de es­colas de tempo integral, beneficiando quase 2 mil alunos. O município pre­tende abrir, neste semes­tre, seis novas escolas das oito que o Prefeito Mário Pardini anunciou, sendo a última em Vitoriana, cons­truída com participação da Construtora Ecovita e que deve estar pronta em 18 meses.

Além das escolas de EMEFI – Ensino Funda­mental de Tempo Integral, o Secretário de Educação, Valdir Paixão, destaca a entrega da nova Creche do Cambuí, provavel­mente em abril. Os mó­veis e demais equipamen­tos pedagógicos da rede municipal já estão com­prados e sendo instalados nas unidades, que serão abertas de forma caden­ciada, logo no início das aulas, em fevereiro. Até o final do semestre todas estarão funcionando em novas instalações, móveis e servidores preparados para a demanda de tra­balho integral. “Cada es­cola nova vai atender aos alunos e a comunidade botucatuense de forma integral. Já estamos nos preparando para esse momento, com tudo en­caminhado em termos de equipamentos e recursos humanos, desde profes­sores, diretores, supervi­sores de ensino e servi­dores, para atendermos, em média, cerca de 300 novos alunos, que perma­necerão nas escolas no­vas no turno e contratur­no, recebendo conteúdo pedagógico e esportivo. No contraturno teremos reforço escolar, além de atividades esportivas, re­creativas e educacionais”, explicou Valdir Paixão.

Conforme vem divul­gando a Prefeitura, as escolas de tempo inte­gral foram construídas em pontos estratégicos de bairros da Cidade. O objetivo é fortalecer as relações familiares nos bairros e reduzir gastos com transporte e riscos de acidentes no trajeto.

As novas escolas se­rão no Jardim Itamaraty, Residencial Maria Lui­za, Cambuí, Cohab I, Caimã e Cachoeirinha. A nova creche do Jardim Cambui, que vai ser inaugu­rada provavelmente em abril, foi construída pela Fundação de Desenvolvi­mento Escolar, com recur­sos liberados quando o ex-prefeito João Cury era presidente do órgão.

O Secretário Valdir Pai­xão acredita que as novas instalações e o projeto pedagógico que será implantado na rede escolar neste ano manterão as boas avaliações feitas por órgãos governamentais.

No dia-a-dia tem muito destaque o fato do Mu­nicípio ser considerado ‘pacífico’, com a reduzi­da quantidade de crimes contra a vida e outros violentos, e as escolas municipais, estaduais, e também as particulares, estarem entre as que es­tão bem avaliadas nacio­nalmente. Por exemplo, a rede municipal conseguiu, pelo menos 5 anos antes dos prazos estabelecidos pelo Inep, alcançar notas altas, enquanto cidades do mesmo porte ou maio­res estão patinando nes­sas avaliações.

Homenagens

A escola do Maria Luiza será denominada “Escola Municipal de Ensino Fun­damental Integral (EME­FI) Profª Maria Jesumina Dal Farra; a do Caimã será EMEFI Profª Terezi­nha Paes Secco; do Jardim Itamaraty será “Profª Ma­ria Jacomino Venditto”; do Cachoeirinha e Cohab II será “EMEFI Professor Mozart Morais”; na Cohab I será “EMEFI Profª Elza Judith Carmelo Torres; e a do Santa Maria será “Nair Amaral”, já que a unidade escolar vai ser transferida para o novo prédio. A cre­che do Monte Mor ainda não teve a definição de nome.

Jornal Leia Notícias por Haroldo Amaral

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes