Botucatu: Castelinho está entre as vinte melhores rodovias do Brasil

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

A Rodovia João Hipólito Martins (SP-209), a popu­lar “Castelinho”, em Botu­catu, foi classificada como a décima quinta melhor rodovia do país, conforme levantamento da 22ª edi­ção da Pesquisa da Con­federação Nacional dos Transportes (CNT), divul­gada na quinta-feira, 18. O ranking analisou mais de 107.161 quilômetros em todo o país.

O resultado, no entan­to, mostra queda no de­sempenho da rodovia que, desde 2009, está sob ges­tão da iniciativa privada. Em 2015, por exemplo, a Castelinho foi considera­da como o nono melhor trecho do país. Na pes­quisa anterior da confe­deração, no entanto, a SP 209 foi a décima terceira melhor rodovia do país, segundo o estudo da CNT.

No levantamento deste ano foram analisados que­sitos como pavimentação asfáltica, geometria da via, sinalização, acessos e dispositivos de seguran­ça, prevalência de pontos críticos, além de serviços oferecidos aos usuários. Quanto à Castelinho a avaliação atingiu os 21 quilômetros de extensão, tendo como estado geral sendo considerado “óti­mo”. Os demais quesitos, como pavimento e sina­lização, também recebe­ram a classificação máxi­ma. Apenas a geometria da via teve ponderação regular pela CNT.

A Castelinho é adminis­trada pela Rodovias do Tietê, quando da conces­são do trecho do Corre­dor Leste da Rodovia Ma­rechal Rondon (SP-300). Nestes anos recebeu in­vestimentos superiores a R$ 4 milhões, conforme a própria empresa respon­sável por sua administra­ção.

A rodovia passou por in­vestimentos e mudanças em sua estrutura. Além de duplicada, a rodovia sedia um dos doze postos do Sistema de Atendimento aos Usuários (SAU), ba­lança para caminhões em situações de fiscalização, telefones para solicitação de emergência, fiscaliza­ção por câmera e passare­la para travessia de pedes­tres. Em alguns trechos há fiscalização por radar, principalmente na área urbana.

Situação insatisfatória no país

A malha pavimentada brasileira continua em condições insatisfatórias, ainda que tenha apresen­tado uma pequena melho­ra entre 2017 e 2018, con­forme a Pesquisa CNT de Rodovias, divulgada pela Confederação Nacional do Transporte. De acor­do com o levantamento, 57% dos trechos avalia­dos apresentaram estado geral com classificação regular, ruim ou péssima. Em 2017, o percentual com algum problema foi de 61,8%. No total, a CNT pesquisou 107.161 km, o que corresponde a toda a malha federal pavimenta­da e aos principais trechos estaduais, também pavi­mentados.

A malha rodoviária pau­lista, composta por 24 mil quilômetros (entre vias federais, estaduais e municipais) , teve 78% de sua extensão classificada como ótima ou boa.

O ranking da CNT apre­senta que das vinte me­lhores rodovias do país, dezenove estão em terri­tório paulista. Todas sob gestão da iniciativa priva­da.

O estudo é um instru­mento de consulta para todos os caminhonei­ros autônomos e demais transportadores de todo o país. Os dados podem subsidiar políticas seto­riais de transporte, proje­tos privados, programas governamentais e ativida­des de ensino e pesquisa para o desenvolvimento do transporte rodoviário de cargas e de passagei­ros.

Jornal Leia Notícias por Flávio Fogueral

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes