Botucatu: Variante Delta foi identificada através do sequenciamento genético feito pelo estudo da efetividade da AstraZeneca na Cidade

A cidade de Botucatu teve um caso da variante delta do coronavírus identificado nesta quarta-feira (18). A informação foi divulgada pela Unesp, responsável pelo sequenciamento genético dos casos de Covid-19 no estudo de efetividade da vacina Oxford/AstraZeneca, realizado na cidade com a participação da universidade.

Segundo informações da universidade, o caso positivo para variante delta faz parte das amostras colhidas entre os dias 1 e 7 de agosto, ou seja, antes da aplicação da segunda dose do imunizante nas ações de vacinação em massa, que foram realizadas nos dias 8 e 14 de agosto.

O caso também foi confirmado pela prefeitura de Botucatu no boletim epidemiológico desta quarta-feira (18).

O paciente teve apenas sintomas leves e já passou pelo período de quarentena. O secretário de Saúde da cidade, André Spadaro, informou também que há um outro caso em investigação, de uma pessoa que é parente do caso confirmado da variante.

Como parte da pesquisa, está sendo feito o sequenciamento genético dos casos positivos de Covid-19 identificados em Botucatu e em outras 11 cidades da região.

Já foram analisadas mais de 500 amostras, mediante a assinatura do termo de consentimento das pessoas que testam positivo, e essa foi a primeira vez que a variante foi identificada.

Segundo o médico infectologista e professor da Unesp em Botucatu, Carlos Magno Fortaleza, a identificação da variante em Botucatu indica uma interiorização do vírus.

“Até este momento, a maioria dos casos (da variante Delta) havia sido diagnosticada no eixo Rio-São Paulo, incluindo algumas cidades ao longo da Via Dutra (principal rota rodoviária entre as duas capitais). O achado em Botucatu pode indicar uma interiorização desta variante. Isso está ocorrendo mais lentamente do que temíamos, mas está entrando (no interior)”, explicou o professor na nota de divulgação da variante publicada no Jornal da Unesp.

A universidade informou ainda que estudos mostram que a vacina Oxford/AstraZeneca tem 70% de eficácia contra os casos graves da variante, mas apenas após a segunda dose, por isso, a Secretaria de Saúde reforçou o pedido para que os moradores que ainda não receberam a segunda dose nas ações de vacinação em massa que procurem as unidades de saúde para completar a imunização.

A reportagem entrou em contato com o Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo que informou que o balanço do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) aponta 231 casos da variante Delta, sendo 52 casos autóctones,10 casos importados e 169 confirmações em fase de investigação epidemiológica.

Porém não informou se o caso de Botucatu está entre os 62 já confirmados pelo estado ou nos que estão em fase de investigação epidemiológica.

G1

Scroll Up