Botucatu: Projeto do HC, de humanização da cirurgia infantil, é premiado em Congresso

O Projeto “Minha Aventura no Hospital”, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, uma ação de humanização da cirurgia pediátrica que transforma a entrada das crianças no Centro Cirúrgico em uma viagem ao espaço ou à floresta encantada das fadas por meio de cenários interativos, conquistou o primeiro lugar na categoria Trabalho Original no Congresso da Fundação Otorrinolaringologista da Universidade de São Paulo (USP), um dos maiores palcos de discussão científica da área.

Dra. Isabella Gonçalves Pierri e Dr. Cássio Iwamoto

O projeto, implantado em 2020 inicialmente no Hospital Estadual Botucatu (HEBo), tem como principal objetivo melhorar o atendimento à criança, facilitar sua entrada no Centro Cirúrgico, avaliar e principalmente reduzir os mais diversos sentimentos, como:  medo, angústia, insegurança, entre tantos outros que a maioria das crianças demonstram ao precisar de um tratamento cirúrgico.

Com a transformação do Centro Cirúrgico em um cenário de Planetário ou Floresta Encantada, o principal objetivo é que a cirurgia, na mente da criança, se transforme em uma grande viagem, reduzir os mais diversos sentimentos demonstrados pelos pequenos pacientes nesse momento, como: medo, angústia, insegurança; entre tantos outros.

Dra. Silke Weber, Diretora do HEBo e orientadora do estudo que deu origem ao projeto, conta que o “Minha Aventura no Hospital” foi destaque entre 60 trabalhos escolhidos para apresentação oral, garantindo o primeiro lugar no Congresso. “Nosso projeto atendeu aos critérios de originalidade, importância clínica, impacto social e rigor científico, considerando a definição clara dos objetos, metodologia adequada e apresentação dos resultados e conclusões”, explica.

A avaliação do nível de medo, estresse e ansiedade da criança após a implantação do cenário lúdico, foi feito por meio do score CAG (children’s anxiety questionnaire). Os resultados obtidos em 84 crianças, sendo mais da metade submetidas a procedimentos otorrinolaringológicos, mostraram baixos níveis de ansiedade e medo em meio ao cenário da fantasia, consolidando assim o efeito benéfico da intervenção lúdica.

“Este reconhecimento nos traz muita felicidade e muito orgulho de toda equipe, pela dedicação por um trabalho clínicos com indicadores de qualidade e de altíssimo impacto social. O esforço e os resultados mostram que a nossa preocupação com a humanização é parte de todos os segmentos”, finaliza Dra. Silke.

Equipe do estudo e projeto “Minha Aventura no Hospital”

Elisângela Barbosa Dias

Isabella Gonçalves Pierri.

Rafaela Prata

Gabriel Ferreira

Marla Avila

Andrezza B. Castro

Silke Weber

Assista ao vídeo do projeto Minha Aventura no Hospital




Assessoria

Scroll Up